Pragmático e eficiente: esse deve ser o Milan até o fim

Não é muito agradável para quem gosta de um futebol bonito. vistoso, que dá orgulho de ver o time jogar e tals. Menos ainda para quem não torce para esse mesmo time e resolve parar e ver partida que está passando na emissora errado. Mas realmente aconteceu algo muito importante para o Milan alcançar seu objetivo: ele se adaptou e se tornou um time pragmático, seco, simples.


Como vamos ficar o resto da temporada sem o único cérebro do time (saudades, Bonaventura) e o mojo do Suso algumas vezes não funciona, restou a Montella arrumar o time com as peças que tinha em mãos, ou seja, comedores de capim, lenhadores e dois pontas com velocidade, de uma forma inteligente e que trouxesse os resultados necessários. Assim, na vitória sobre o Genoa, vimos uma equipe que não joga bonito, mas gira a bola até conseguir entrar na área do adversário.



Dessa forma, nas últimas 6 partidas o Milan empatou uma, perdeu outra e ganhou as outras quatro com placares apertados. A defesa foi a que mais evoluiu, mesmo tendo que se virar sem Romagnoli em 4 dessas partidas, e com atuações magistrais de Donnarumma - foram apenas 5 gols sofridos.


É inegável que o time esta arrumadinho, apesar de algumas falhas aqui ou ali, o que é normal por conta da falta de entrosamento, já que são muitos desfalques por lesão ou suspensão e falta de qualidade técnica mesmo. Agora é seguir assim até o final da temporada.


- Curtinhas - 


Mati Fernandez fez uma partida muito boa contra o Genoa e finalmente pode se tornar uma opção mais criativa para o trivote.


Não sei se vocês repararam mas tanto Deulofeu quanto Ocampos evitavam ao máximo de tocar a bola para Lapadula, principalmente no segundo tempo. Não que não seja compreensível, já que o italiano nunca estava bem posicionado para receber a bola e não é uma sumidade técnica. Mas fazer isso não ajuda o time de forma alguma.


Getty Images
Getty Images

Todos queremos clareza e transparência, Curva, todos queremos


A curva Sud levou essa bandeira que significa o desejo de todo milanista em relação a lenga-lenga da venda do clube.