£45 milhões por Sterling é uma piada de péssimo gosto

A janela de transferências ainda nem abriu e o City já parece estar cheio de vontade de dar um caminhão de dinheiro em um jogador nota 7.


Que fique registrado: não há nenhum acordo oficial de parte a parte, mas, segundo uma entrevista dada ao London Evening Standard pelo agente de Sterling, Aidy Ward, o City estaria na pole position para contar com os serviços do atleta na próxima temporada.


Sterling não é um mau jogador. Conforme já dito, é um winger nota 7, que em seus dias mais inspirados pode até tirar um 8. O problema é o quanto a vinda dele custaria aos cofres do City. Acreditem ou não: incríveis 45 milhões de libras. Pra quem gosta de falar em euros, algo em torno de 63 milhões.


Na temporada 2014-15, Sterling entrou em campo em 35 oportunidades pelo Liverpool, 34 delas como titular e uma saindo do banco de reservas. Deu 62 chutes no gol e anotou 7 tentos, o que dá uma média de um gol a cada quase 436 minutos. Sterling também contribuiu com o time em 7 assistências. Mesma média. É até compreensível o baixo número de gols dada a posição em que Sterling atua. O baixo número de assistências, não.


Getty
Getty

7 gols e 7 assistências em 35 jogos pelo Liverpool em 2014-15: muito pouco para quem se pretende valer 45 milhões de libras


Ao observar estes números, dá pra ter uma noção do tamanho da bobagem que o City pode vir a fazer. Aliás, bobagem não. Loucura mesmo. Principalmente se considerarmos que o time precisa, em caráter emergencial, de um substituto para a vaga que será deixada por Touré no meio de campo. Como todos podem supor, o tal jogador em questão custaria algo em torno de 70 milhões de libras. E, no caso, este sim poderia fazer uma grande diferença no time do City.


Sterling, apesar de ter anotado apenas dois gols na temporada 2013-14, quando o Liverpool disputou o título até a última rodada, se destacou por apresentar um futebol vistoso e de muita explosão. Mas havia uma explicação para isso: com Suárez e Sturridge voando, ficava fácil pra ele conseguir seus momentos de destaque. Na atual temporada, sem Suárez e com Sturridge sofrendo com problemas de lesão, caberia a ele assumir a responsabilidade e liderar as ações ofensivas do time juntamente com Phillipe Coutinho. Como pudemos ver, definitivamente não foi o que aconteceu.


Resultado: dependendo do que acontecer na 38ª rodada da Barclays Premier League, o Liverpool, vice-campeão em 2013-14, pode terminar o campeonato em 7º, atrás de Tottenham e Southampton.


O fato é que de tempos em tempos o City enfrenta problemas nas janelas de transferências. Quando não é o Financial Fair Play, é o agente de algum jogador colocando o time na jogada e fazendo um leilão em cima de seu cliente. Para 2015-16, teremos Aidy Ward e Sterling.


Sabendo que o City é um time que gasta muito, o outro lado do balcão já pede lá em cima logo de começo. Vejamos: em condições normais, Sterling não valeria mais do que 15 milhões de libras. No entanto, o problema é: o City precisa desesperadamente de alguém para fazer os flancos do campo. A saída de Milner é iminente, Navas não é confiável e Nasri é de lua - joga quando quer. Tendo isso em mente, fica claro que se o City precisará de alguém pra uma determinada posição, os agentes e os clubes dos jogadores que batem com o perfil vão tentar fazer verdadeiras fortunas em cima disso. E pior: tem gente na diretoria do City que entra nesse jogo. Está aí Jovetic que não me deixa mentir.


Conforme dito lá no começo, Sterling não é um mau jogador. É melhor que Navas e poderia até se encaixar no esquema do time pra próxima temporada. Com Suárez e Sturridge ele ia bem, então, não há motivos para não crer que ele poderia ter um bom desempenho atuando ao lado de David Silva e Agüero. O problema, é que para um jogador custar 45 milhões de libras, ele teria que ser alguém que é capaz de decidir uma partida ou mesmo um campeonato. Para efeitos de comparação, o próprio Agüero, que não é nem preciso dizer o que ele já fez pelo time, custou 38 milhões de libras.


O City precisa, sim, fazer uma reformulação em seu elenco. Diminuir a média de idade do grupo e contratar alguns jogadores ingleses é uma necessidade por uma série de fatores e a vinda de Sterling até poderia ser benéfica. Repito: trata-se de um bom jogador e ainda muito jovem, mas não por esse preço absurdo.


Convenhamos: 45 milhões de libras por Sterling seria uma piada de péssimo gosto. Por outro lado, infelizmente a diretoria do City parece estar disposta a ouvir.


Siga @javierfreitas