Em dia de reencontros, City bate o West Ham na Islândia

No último teste antes do início da temporada 2017/18, City e West Ham se enfrentaram nesta sexta-feira (4) em Reykjavik, capital da Islândia. Como era de se supor, o City confirmou o favoritismo e terminou o período de preparação com uma bela vitória por 3 a 0 pra cima dos Hammers, com gols de Gabriel Jesus, Agüero e Sterling.


ESPN.com.br | Jesus marca seu primeiro na temporada e City encerra preparação com vitória


A exemplo do que se viu contra Real Madrid e Tottenham, Guardiola seguiu apostando no esquema com três zagueiros no time que mandou a campo nesta sexta. Com Kompany no comando do setor, acompanhado por Stones e Otamendi, era de se imaginar que a defesa passaria a mais absoluta segurança no confronto.


Não parecia, entretanto, ser necessário tamanho cuidado com o sistema defensivo. Desde o primeiro minuto, logo se via que a proposta do West Ham seria de se defender e, se possível, criar alguma oportunidade no erro do City, que, por sua vez, deixou claro que a ideia seria sufocar o West Ham em sua área.


Jogando com Danilo e Sané pelas alas, a pressão imposta pelo City no West Ham em sua saída de bola deu resultado logo nos primeiros minutos, tanto que com menos de dez minutos Gabriel Jesus há havia aberto a contagem em Reykjavik.


Contudo, o ritmo que começou intenso, foi diminuindo à medida que o City tomava cada vez mais para si o controle do jogo – até como era de se esperar. Tanto se faz verdade que só no segundo tempo, com Agüero e Sterling, o time matou o jogo. Por outro lado, o time voltou a botar o pé no acelerador quando Guardiola trocou todo o time e os jovens Brahim Diaz, Foden, Roberts e Zinchenko foram a campo.



Curta o Manchester Connection no Facebook



O jogo desta sexta foi também um dia de caras novas e velhas. Se por um lado Guardiola promoveu a estreia do português Bernardo Silva com a camisa do City, por outro foi o dia de dois velhos conhecidos enfrentarem o City pela primeira vez em outras cores.


Getty
Getty

Zabaleta jogou só meio tempo, mas não aliviou. Sané que o diga...


Não vou mentir pra vocês: ver Hart e Zabaleta jogando contra o City é algo bem estranho. Tão estranho quanto David Silva careca.


Sobre as atuações de ambos, o que pode se concluir é que Zabaleta segue chegando firme como sempre, enquanto Hart salvou o West Ham de uma goleada – e vai passar muita raiva ao longo da temporada se a defesa do West Ham continuar apresentando o desempenho de hoje.


Siga @javierfreitas