Nasri ainda tem espaço no elenco do City?

Há quase um ano, a torcida do City estava às voltas com uma pergunta: o que fazer com Samir Nasri? Cheguei até a escrever algo neste sentido aqui.


Na última temporada, o meia francês foi emprestado ao Sevilla e não desapontou no time espanhol. Muito pelo contrário. Especialmente no começo de sua jornada no time espanhol, Samir causou uma ótima impressão e deu um novo gás ao meio de campo ao time então comandado por Jorge Sampaoli.


O Sevilla tinha a opção de compra do atleta ao final do período de empréstimo, mas optou por não fazê-lo. Por mais que as qualidades de Nasri enquanto jogador sejam notórias e úteis a qualquer time que brigue no mais alto nível do futebol europeu, a suposta falta de comprometimento em dados momentos e o pavio curto do jogador, como foi visto na partida contra o Leicester na Champions, podem ter sido fatores determinantes para que o clube de Andaluzia tenha desistido de contar com ele por definitivo.


Antes de emprestar Nasri, Pep chegou a ameaçar um movimento para convencer o jogador a ficar no City, mas, aparentemente, a decisão de emprestar o atleta já estava selada.


Sabendo da capacidade de Pep de motivar e tirar o melhor de seus atletas, não é difícil imaginar que Nasri poderia, sim, ter sido muito produtivo na última temporada. Sob o comando de Pep, a evolução de Sterling foi brutal e o winger inglês teve em 2016/17, com largas passadas, sua melhor temporada.


É claro que Nasri não seria um dos primeiros nomes no starting XI de Pep. Evidente que não. Com opções como Sterling e Sané pelos lados e David Silva e De Bruyne pelo meio, Nasri seria uma opção de qualidade no banco, mas que certamente faria sua presença ser notada.


Com a chegada de Bernardo Silva, o City tem mais uma opção para o setor, a questão poderia ser dada como finita e o assunto encerrado num tweet.


Entretanto, vale lembrar que o City disputa quatro competições ao longo do ano e se o time pretende ter tanto sucesso quanto possível nelas, especialmente na Premier League e na Champions League, ter um elenco repleto de opções de qualidade para as mais diversas situações se faz absolutamente necessário.


Útil, ele pode ser, assim como já o foi tantas vezes no passado recente. A questão, entretanto, é saber se Pep vê tal utilidade e se, neste caso, é capaz de achar um espaço para o atleta no elenco.


Getty Images
Getty Images

Na Premier League ou na Champions, Nasri sabe como se fazer importante para o City. A pergunta é: ainda há espaço?


Em caso de negativa, o melhor seria mesmo vendê-lo, afinal, seus salários não são baixos e um novo empréstimo certamente obrigaria o City a arcar com parte de seus vencimentos independentemente do clube que se interesse por seus serviços.


O contrato de Nasri com o City vai até 2019 e não há vantagem nenhuma em mantê-lo emprestado até lá pagando parte de seus salários e permitindo que ele saia como free agent dentro de dois anos. Até mesmo porque, quando – e se – isso acontecer, ele terá 31 anos e provavelmente ainda deverá ter alguma lenha para queimar em nível satisfatório.


De acordo com o site especializado Transfermarkt, Nasri valia algo em torno de £22 milhões quando chegou do Arsenal para o City em 2011. Para contar com seus serviços, o City pagou pouco mais de £23 milhões ao time da capital.


Hoje, o valor de mercado de Nasri gira em algo próximo de £14 milhões. Como já dito anteriormente, é um atleta que tem suas qualidades, mas não está ficando mais jovem a cada dia que passa, sendo assim, absolutamente natural este processo de desvalorização.


Contudo, sabe-se também que ele vale mais do que esses £14 milhões sugerem. Seu preço sofreu esta queda de tal significância justamente por ele ter perdido espaço junto ao elenco do City e ter sido emprestado. Mesmo que para um clube do porte do Sevilla.


Getty Images
Getty Images

Apesar da expulsão infantil contra o Leicester, Nasri causou um bom impacto no Sevilla ao longo da temporada


Se optar mesmo por vendê-lo, como têm sugerido diversos veículos ao longo dos últimos meses e com o Fenerbahçe aparecendo como um dos favoritos por sua assinatura, o City teria obrigatoriamente que ser capaz de conseguir alguma coisa a mais. Algo em torno de pelo menos £16 milhões, supõe-se.


Tecnicamente falando, Nasri tem capacidade de agregar muita qualidade a quem desejar contar com ele. Na Premier League, com exceção do Top6, seria titular com a mais absoluta tranquilidade em qualquer equipe do certame. Na Espanha, com exceção do trio Barça, Real e Atleti, também seria um reforço de peso para qualquer equipe – assim como o foi no Sevilla.


Haveria ainda possibilidades na Itália, em times como Milan e Inter, que parecem estar em processo de reconstrução de elenco – especialmente o primeiro, agora cheio de dinheiro para ir ao mercado.


Ainda, uma volta para a França não deveria ser completamente descartada. O Monaco, semifinalista da última Champions, deve sofrer um processo de desmanche nos próximos meses e Nasri certamente poderia encontrar um bom lugar para jogar ou, então, seria recebido de volta em Marselha de braços abertos sem sombra de dúvida.


Se Nasri fica ou vai ainda é uma questão em aberto e, ainda que o segundo cenário seja o mais provável, eu, particularmente, pagaria pra ver o primeiro.


Siga @javierfreitas