Afinal, o que o City vai fazer com Iheanacho?

Logo quando surgiu, Iheanacho foi tratado como uma verdadeira joia descoberta nas categorias de base do City.


Forte, alto, ágil, sempre bem posicionado e com muito faro de gol, não demorou muito para que ele começasse a colocar a bola na rede sempre que tivesse uma oportunidade dada.


Com o passar do tempo, os tentos começaram a se acumular e, melhor ainda, com uma quantidade relativamente baixa de chutes ao gol. Ou seja: sua taxa de conversão era uma das melhores da Premier League.


O sucesso de Iheanacho era tido como uma certeza e o fato de que ele era o substituto natural de Agüero para ser o nome da grande área do City era só uma questão de tempo.


Contudo, para o bem e para o mal, o tempo passa e as coisas mudam. Com a chegada de Gabriel Jesus, o panorama mudou no City no que diz respeito ao ataque. Em algum momento, até mesmo a condição de Agüero chegou a ser ameaçada, ainda que, convenhamos, a posição do camisa 10 é fundamental e inquestionável.


Getty
Getty

Sob o comando de Pep, Iheanacho já decidiu até Manchester Derby, mas perdeu espaço


Com o impacto imediato criado pelo brasileiro, o jovem nigeriano acabou ficando sem espaço e, à exceção do momento em que Jesus se lesionou, Iheanacho deixou de ser até mesmo opção no banco de reservas, raramente sendo relacionado para as partidas.


Isso significa que Kelechi deixou de ser um bom jogador? Que o futuro previsto para ele não vai acontecer? Nada mais errado. O talento está ali e ele precisa ter espaço e oportunidade para desenvolver seu potencial.


O problema é: isso vai acontecer no City? Provavelmente não. Com Agüero e Jesus, seriam raríssimas as oportunidades de Kelechi e, ao que tudo indica, o jovem jogador não está nos planos de Pep para a próxima temporada.


A tendência é mesmo que Iheanacho seja vendido nesta janela de transferências, com o City disposto a aceitar propostas que partam da casa de £20 milhões, com o West Ham sendo o favorito a levar o jogador.


Torcedores do West Ham têm tratado a negociação como uma verdadeira barganha, dada a idade e o potencial do jogador. De certo modo, não deixa de ser verdade. Iheanacho já mostrou serviço na Premier League e o City poderia conseguir mais por ele – ainda mais num momento em que estão pagando € 45 milhões por jogadores de 16 anos que não se provaram em lugar algum.



Curta o Manchester Connection no Facebook



Outra opção para o City poderia ser emprestar Iheanacho para que ele pudesse ter mais tempo de jogo e voltasse ainda melhor para o clube dentro de algo como duas temporadas, por exemplo. No momento, Agüero e Gabriel Jesus estão muito à frente de Kelechi, mas é bom lembrar que o primeiro deve bater a casa dos 30 anos em não muito tempo.


Mas por outro lado, é possível imaginar que o City ainda tenha um plano para o jogador, mesmo em caso de venda. Assim como fez com Enes Unal, vendido ao Villarreal sem ter sequer ter entrado em campo com a camisa do City, o clube colocou uma cláusula de buy-back no contrato, podendo trazer o atleta de volta se assim desejar. Com Iheanacho, é de se supor que aconteça o mesmo.


Siga @javierfreitas