Middlesbrough 0-2 City: vamos ao Wembley!

Diferentemente do que se viu no meio de semana contra o Stoke, neste sábado (11), o City não fez muita cerimônia pra bater o Middlesbrough por 2 a 0 no Riverside Stadium e carimbar o passaporte para Wembley e ser o primeiro time a garantir vaga nas semifinais da FA Cup.


ESPN.com.br | Contra 'Mourinho espanhol', Guardiola escala Bravo, vence e avança na Copa da Inglaterra


Com um calendário apertado como é o inglês, especialmente para quem disputa a Champions como é o caso do City, a tendência é que à medida que a temporada vai se afunilando, o treinador vai tendo um quebra-cabeças pra montar a cada jogo para conseguir manter suas principais peças sempre na melhor forma física possível.


Hoje, no entanto, o que se viu foi Pep mandando provavelmente o que tinha de melhor para montar seu onze inicial – à exceção de Bravo na vaga de Caballero. O empate com o Stoke no meio de semana foi um balde de água fria nas pretensões do City em tentar caçar o Chelsea na liderança do campeonato, o que já seria uma tarefa complicada por si só mesmo se tivéssemos saído com os três pontos.


Por conta disso, a FA Cup passa a ser a chance mais palpável de título na temporada, sem esquecer da Champions, claro, mas também há de se convir que a concorrência é bem mais pesada no campo europeu.


Quanto ao jogo em si, o City não precisou de mais do que dois minutos pra se colocar à frente no marcador, quando David Silva abriu o placar após cruzamento da direita. Um gol no início é sempre bom para qualquer time, mas, no caso do City no jogo de hoje, foi fundamental porque o time produziu bem menos a partir de então.


A mesma dificuldade que se viu para furar o bloqueio defensivo contra o Stoke se repetiu hoje por alguns bons minutos do primeiro tempo. Só mais ao final da primeira etapa que tanto City quanto Boro conseguiram dar alguma emoção na partida com chances criadas de lado a lado, mas nada substancial a ponto de ser o suficiente para mexer com o placar.


Entretanto, qualquer que tenha sido a conversa de Pep com os jogadores no vestiário, ela deu resultado. O City voltou disposto a liquidar a fatura e passou a ser infinitamente mais incisivo no jogo, tanto com David Silva abrindo espaços pelo meio, quanto com Sterling e Sané rasgando a defesa do Boro à toda velocidade pelos lados.


E que se abra um parêntese aqui sobre David Silva e o quanto ele tem sido fundamental para o time recentemente. Hoje, não surpreendentemente, ele foi o homem da partida. Não só pelo gol marcado, mas também pela capacidade de ditar o ritmo do meio de campo ao fazer a distribuição de jogo com a precisão que lhe é característica.


Getty
Getty

Bola no maestro que ele resolve


E à medida que o Boro também saía mais para o jogo, afinal, eles precisavam buscar o empate, mais espaços eram criados e, como consequência disso, mais o City conseguia jogar. Mas ao contrário do primeiro tempo, o time precisou de mais de 20 minutos da etapa complementar pra fazer o 2 a 0 com Agüero, embora parecesse apenas uma questão de tempo para sair o segundo gol, dada a forma como o City vinha jogando.


Aliás, mesmo depois do tento que liquidou a fatura, pode-se dizer tranquilamente que o 2 a 0 saiu barato para os donos da casa e o placar, de certa forma enxuto, passou diretamente pela ótima atuação do goleiro Guzán, que com incontáveis intervenções ao longo da segunda etapa, evitou uma goleada no Riverside Stadium.



Curta o Manchester Connection no Facebook



O City, por outro lado, chegou ao seu sexto clean-sheet seguido em jogos fora de casa na temporada. Bravo até fez uma boa defesa no primeiro tempo, por mais que a bola tenha ido em cima dele, mas o zero no nosso lado do placar vai também nas contas de Stones e de Zabaleta que tiraram a bola em cima da linha em duas oportunidades, o que nos mostra que, apesar da relativa tranquilidade com a qual o City passou pelo Boro, o time de Aitor Karanka até ameaçou em alguns momentos e poderia, ao menos, ter dado números diferentes ao jogo.


Ainda assim, vale o destaque para a boa atuação do conjunto defensivo como um todo, ainda que o Boro tenha sérios problemas em seu setor ofensivo e não seja, de forma geral, um time que se possa chamar de ameaçador. Nos últimos dez jogos antes da partida de hoje, os Smoogies haviam deixado de marcar em sete ocasiões.


De volta ao City, o registro é de que esta foi a 11ª partida seguida sem derrota por todas as competições. A última vez que o time teve uma fase tão boa na temporada foi justamente no início dela, quando venceu seus dez primeiros jogos.


E agora, vamos ao Wembley!


Siga @javierfreitas