Gonalons: capitão do Lyon e a porta dos fundos

Na última quarta-feira o Lyon confirmou que seu volante/capitão Maxime Gonalon está se transferindo para a Roma. O meio-campista de 28 anos renderá cerca de 5 milhões de euros aos cofres lioneses, devendo ser anunciado pelos giallorossi nesta próxima semana.


Gonalons viveu turbulento último semestre em Lyon. No decorrer da disputa do mata-mata da Europa League, o volante foi questionado publicamente e teve a titularidade bancada pelo treinador Bruno Génésio. O jogador continuou no time ainda mantendo a faixa de capitão.


Após a eliminação imposta pelo Ajax nas semifinais da EL, Gonalons falou a imprensa, afirmando que havia “faltado ambição” para o grupo. As palavras não caíram bem aos ouvidos do presidente Jean-Michel Aulas. Dali em diante, a permanência do volante se tornou duvidosa.


Getty
Getty

Gonalons em partida do Lyon pela última edição da Europa League


Tão logo a temporada se encerrou, Aulas falou sobre o atleta que esperava uma renovação contratual, uma vez que seu vínculo tinha prazo a expirar em 2018. O presidente manteve posição estática e sua ideia era clara. Se Gonalons liderasse um time que obtivesse êxito na temporada 2017/2018, poderia haver algo lá na frente. Se não, que as eventuais propostas o levassem embora. E foi o que aconteceu.


Gonalons foi cerceado por Milan, Lazio, Newcastle e por último a Roma, que tinha o trunfo da vaga garantida na Champions League 17/18. Em todos os momentos Gonalons deu a entender que se sentia arrependido por ter recusado a oferta do Napoli, em 2014.


Revelado pelo Lyon B e integrado ao time principal desde 2009, Gonalons computa 334 partidas pelo clube, com 13 gols e 12 assistências. Foi campeão da Copa da França 11/12, assumindo a braçadeira de capitão posteriormente, num período de ausência de conquistas.


Gonalons já havia declarado que não queria continuar com a braçadeira, caso prosseguisse em Lyon.


Como ficará o setor de meio-campo?


A partida de Gonalons decreta a extinção do meio-campo titular do Lyon na última temporada, tendo em vista que Tolisso/Valbuena já não estão mais no clube. Sem Gonalons, perdeu-se o homem do primeiro passe. Sem Valbuena, perdeu-se o homem do último passe.


Bruno Génésio já afirmou que não há necessidade de gastar dinheiro com um substituto para Gonalons. O raciocínio de Génésio parece garantir que este setor continue tendo um jogador identificado e formado pelo clube.


Lucas Tousart tem apenas 20 anos e teve vínculo renovado antes da temporada 16/17 ter se encerrado. É o provável substituto de Gonalons que será fixado à cabeça de área. Foi revelado pelo Lyon B e integrou diversas categorias de base da seleção francesa, tendo sido campeão europeu sub-19 no ano passado.


Getty
Getty

Tousart com a França no Mundial sub-20 em maio passado


O atleta não foi titular absoluto, mas acumulou 33 partidas disputadas pelo Lyon na temporada 16/17. No último mês de maio, Tousart esteve junto a seleção da França no Mundial sub-20. O volante foi capitão do time, eliminado pela Itália nas oitavas de final.


Tousart é opção oriunda da base com Génésio mantendo o francês de origem camaronesa Olivier Kemen, como plano B. Kemen também tem apenas 20 anos, esteve emprestado ao Ajaccio, já tendo sido re-integrado ao plantel lionês. O franco camaronês é uma opção de jogador com maior vigor físico.


Uma vez que as categorias de base do futebol francês historicamente revelam bons volantes, o plano do Lyon parece ser o de literalmente “não pagar” pra ver. Sobre grandes volantes franceses vale refletir: quem era Makélélé, antes do Chelsea oferecer rios de dinheiro ao Real Madrid por ele? Quem era Essien antes do próprio Lyon buscá-lo no Bastia? Quem se lembra de Kanté atuando pelo Caen?


Vai funcionar?


Tudo isso funcionará se o Lyon trouxer um zagueiro de área world class para se posicionar atrás do meio-campo. O time precisa de um defense leader e Eliaquim Mangala parece o nome mais cabível para o setor. Se ele será contratado (Marcelo/Besiktas e Denayer/Manchester City correm por fora), é outra história.


Temos alertado sobre a falta de interesse do Lyon em jogadores de meio-campo, ao menos até agora. Se a opção de Génésio é esta que especulamos acima, buscar ao menos um meio-campista ofensivo para repor a saída de Valbuena é minimamente recomendado.


A impressão que se tem é a de que o treinador quer reabilitar Clément Grenier, que voltou de empréstimo da Roma. Se este é o intento, Génésio parece ter por objetivo priorizar um meio-campo com todas as peças formadas na base lionesa. O raciocínio não é equivocado, ainda que o barato possa sair caro.


Se o plano da dupla Aulas/Génésio for investir no talento ofensivo e soluções pontuais para defesa (laterais, zagueiro world class), o clube está sabendo explorar bem o mercado. Entretanto, um efeito colateral será a demanda de tempo para que o time encaixe, pois serão muitas peças novas por se entrosar.


Nesse aspecto ter o meio-campo oriundo da base, ainda que formado por jogadores low profile, pode ser uma vantagem.


La balle de Lyou


- Quanto à braçadeira de capitão, Jordan Ferri (25 anos) é o principal candidato a recebê-la, segundo afirmam torcedores lioneses na França. O meia está no time principal do Lyon desde 2011 e acabou ofuscado na última temporada pela súbita ascensão de Tolisso.


- Na última quinta-feira, o Lyon apresentou o lateral-esquerdo Ferland Mendy, oriundo do Le Havre, que disputou a última Ligue 2. Mendy custou cerca de 5 milhões de euros aos cofres lioneses.




- Durante a apresentação de Mendy, o presidente Aulas afirmou que o objetivo do clube na temporada é vencer uma copa europeia. Conforme enumeramos no La balle de Lyou do último post, tivemos mais outro dito categórico de Aulas ressaltando os vislumbres para a temporada 17/18 do Lyon. Que não sejam meros devaneios de cartola megalomaníaco...


- Já na última sexta-feira o reforço apresentado foi Mariano Díaz, atacante dominicano contratado junto ao Real Madrid. Díaz custou 8 milhões de euros aos cofres lioneses e os merengues poderão receber 40% do valor de uma futura revenda do atleta.



- Na França, a imprensa sonha com o retorno de Olivier Giroud à Ligue 1, seja por Lyon, seja por Olympique Marselha. Na Inglaterra, a imprensa britânica parece observar o desejo francês com ceticismo, dando a entender que a vontade do atacante é, de fato, seguir na Premier League.


- Siga o blogueiro Alexandre Kazuo no Twitter @Immortal_Kazuo