Derrota para o Palace foi o reflexo de uma temporada mal planejada

Liverpool e Crystal Palace se enfrentaram ontem e o placar mais esperado aconteceu: vitória do time londrino por 2 x 1, de virada, em pleno Anfield Road. Oi?! Placar mais esperado?! Sim, meus amigos, o pessimismo é tão grande que praticamente todos os Reds olhavam para o adversário e logo tinham náuseas.


Além do time do Palácio de Cristal ser bem arrumadinho, vários fatores contribuíam para a derrota: a lei do ex que tanto nos castiga (acredito que ninguém tinha dúvidas que o Benteke marcaria gol ontem), o adversário estar na parte de baixo da tabela, o fato de estarmos sem três dos nossos principais jogadores em campo e a teimosia que insiste em rondar a mente nebulosa de Jurgen Klopp.


O primeiro tempo até que foi bom. Apesar da incompetência para finalizar o time conseguia fazer triangulações, dominava o meio campo e chegava consideravelmente bem à frente. O toque mágico foi o belo gol marcado por Philippe Coutinho, cobrando falta com maestria.


Houve momentos durante a partida que eu realmente achava que meu texto sobre o jogo seria otimista, elogiando a atuação e a forma pela qual os jogadores se portaram em campo. Mas, como a vida dos torcedores Reds nunca sai como planejada, Christian Benteke tratou de jogar um balde de água fria nas minha ideias, marcando um golzinho difícil de engolir no fim do primeiro tempo.


A partir daí o caldo entornou. O segundo tempo começou e o time voltou irreconhecível, ou, para ser mais justo, voltou a ser o Liverpool de sempre: pragmático, cansado, exposto e caneludo.


Lovren, coitado, não serviria nem para pelada de fim de semana. Emre Can esqueceu todo o futebol dos últimos jogos e voltou a ser o velho Can. Firmino e Coutinho pareciam correr da bola, não em direção a ela e, quando tentavam algo, chutavam em direção a um gol que só eles enxergavam. Origi nem tem o que comentar, alguém precisa avisar ao chucrute que ele vendeu o belga errado.


Getty Images
Getty Images

'Agora eu se consagro!'


Já se passaram 34 rodadas e o time continua cometendo os mesmos erros primários. Os dois gols do Palace foram inadmissíveis. No primeiro gol, Cabaye recebe nas costas de Lovren e Milner e cruza para Benteke, que estava livre nas costas de Matip para marcar. O segundo gol é pior ainda: o Liverpool conseguiu tomar um gol de escanteio à meia altura. Pode isso? Claro que pode, o papai Klopp tem crédito, tira leite de pedra, faz o que pode, não é isso que falam? Às vezes leio comentários aqui e nas redes sociais de torcedores que acham as minhas e qualquer crítica ao nosso glorioso treinador injustas, porém, não há mais como defender essa ideia. Jürgen Klopp precisa ser cobrado, SIM!


Está na hora de parar de superestimar o trabalho de Klopp por causa do seu carisma e simpatia.


Me lembro bem do alemão dizendo no início da temporada que confia no time e que não precisa contratar mais ninguém. Pois bem, tínhamos Karius, Gomez, Grujic, Moreno, Brewster, Woodburn e Arnold compondo o banco de reservas.


Você que lê essa coluna, realmente acha que o nosso treinador tinha razão? Eu, sem dúvidas, NÃO!


Para fechar, eu poderia falar aqui que algo precisa ser revisto, jogadores precisam ficar na reserva, blá, blá e mais blá, porém, eu estaria mentindo se dissesse que acreditaria que isso ainda poderia acontecer.


A vaga na próxima Champions League ficou mais difícil. Mesmo com todo pessimismo, continuaremos na torcida e nunca deixaremos este clube andar sozinho!


#ACORDAKLOPP


Acompanhe tudo do Poolzão em nossa FanPage Liverpool FC Brasil