Liverpool: as desventuras de um catado vermelho

Ouvi Mario Marra comentando nossa derrota frente ao Hull City no último sábado. Sim, perdemos mais uma para um time que está caindo pela tabela - 2x0. Marra se perguntava se o Liverpool era tudo aquilo que vimos no último semestre de 2016. Ou se é essa draga toda que vemos em 2017. Mario, acho que a segunda opção vem ganhando força a cada rodada.


Um verdadeiro catado em campo. Time sem criatividade alguma, vivendo das subidas de um meia destro improvisado na lateral esquerda. O lateral direito não acerta um cruzamento. Um volante faz tudo. Marca. Arma. Passa. O outro não faz nada. Coutinho voltou muito mal. Sabíamos que levaria um tempo pro brasileiro voltar a boa forma depois de um mês parado por conta de uma lesão, mas está abaixo até desta expectativa. Lallana tenta. Firmino também. Mané foi nosso melhor. A confiança, sem dúvidas, foi embora de Anfield. Está longe. Às vezes temos chance de chutar no gol, mas a perna pesa 2 toneladas e um equivocado passe de lado aparece. Está difícil.


O Liverpool desaprendeu a jogar bola? O time não ganha de ninguém! Não dá para botar a culpa na falta de jogadores – estavam todos lá, desta vez. Mané, Matip, Cou. Nem culpar a retranca do adversário. Claro que o Hull se retrancou. Mas nem de longe foi o que vimos em outros jogos, onde a linha defensiva do adversário era tão intensa que não passava nem pensamento. Mignolet falhou? Acredito que sim. Mas os caras cabecearam duas vezes dentro da nossa área no mesmo lance, a falha maior foi da nossa defesa. E quer saber? A falta da vibe vencedora me deu a certeza de que, ao tomar o primeiro gol, a chance de vitória tinha ido pro ralo. Ou sejam, com 40 minutos de jogo, já sabia que perderíamos. O que é uma apunhalada no peito, a mais profunda delas, visto o histórico de viradas e feitos sensacionais que o Liverpool tem em sua gloriosa caminhada.


Eu sei que que já falei muito do nosso mercado de janeiro, mais morto que o Sturridge entrando no time. Mas seria coincidência que Ranocchia e Niasse, que participaram ativamente do segundo gol dos Tigers num Pega-Ratão, vieram na janela para o Hull, que está brigando desesperadamente para fugir da Championship? Seria outra coisa do destino que o italiano, que já jogou na seleção azurra, ter jogado uma boa partida, enquanto do nosso lado jogamos com um volante improvisado de zagueiro, já que os dois que temos estavam bichados? Não consigo entender a nossa falta de apetite no mercado.

Não entendo também a situação de Sakho. Teria o beque francês xingado a vó de Klopp, para ser tratado como foi até seu empréstimo a nossa filial, Crystal Palace, no último dia da janela? Só pode. Podem me matar, mas prefiro Sakho a Lovren, Klavan e Lucas. Mas antes de me xingar, vamos lembrar que Mama já mostrou muito. Inclusive em Copa do Mundo...


Getty Images
Getty Images

Abra os olhos, Klopp. Você precisa despertar desse pesadelo!


Enfim, o trem descarrilhou. Estamos fora do G4, com 46 pontos, em quinto lugar. E em queda livre. Times de Manchester em alta. O City já nos atropelou, com Jesus, seu Salvador. E o United encostou, está a 1 ponto. O Everton também está chegando, soma 40 pontos. Fora o virtual campeão Chelsea, Londres sofre. Tottenham suando sangue para ganhar em casa (mas ganhou) e Arsenal com 2 derrotas seguidas. A nossa temporada, que tinha se iniciado tão forte, tão brilhante, tão promissora, parece acabar do mesmo jeito que as últimas tantas. Melancólica.


Fase negra dos Reds. Precisam agora dos torcedores loucos e apaixonados. Mais do que nunca.


#YNWA