Wilfred Ndidi, o novo reforço do Leicester

Getty Images
Getty Images

Jogador Ndidi atuando pela sua seleção da Nigéria


Para a janela do meio de temporada, o Leicester anunciou recentemente a contratação do volante Wilfred Ndidi, do Genk, da Bélgica. Tirando completamente a possibilidade da contratação de Walace do Grêmio, que talvez poderia ter sido uma escolha melhor.


Ndidi veio a pedido do técnico Claudio Ranieri. Jovem jogador de 20 anos que é uma das revelações recentes do futebol nigeriano, onde já participou também de jogos da seleção. Vem para tentar repor a falta enorme que Kanté está fazendo no meio de campo.


O contrato terá duração de 5 temporadas e o jogador custará 15 milhões de libras (cerca de R$ 63,3 milhões aproximadamente), e brigará para se manter titular nos lugares de Mendy e Amartey, que não estão fazendo nada mais que o arroz e feijão. A partir do dia 1 de janeiro, ele poderá entrar em campo e mostrar do que é capaz.


Não se sabe exatamente o que aconteceu com a negociação de Walace do Grêmio, que foi especulado pelo Leicester, tendo até ido para a Inglaterra para resolver os tramites da contratação.


E francamente, prefiro muito mais um jogador brasileiro, ganhador das Olimpíadas, do que um jogador nigeriano, que joga em uma seleção sem nenhuma expressão notável. O Leicester precisa de jogadores menos previsíveis como os latinos, que possuem muito mais malicia e jogo fácil, do que os pragmáticos europeus apenas.


O time vem de uma temporada na Premier League em que não venceu nenhum jogo fora de casa ainda. Um time com garra e preparo físico altíssimo, porém com uma táctica previsível.


Claudio Ranieri foi o homem que levou o Leicester do anonimato à glória com o título da Premier, mas não acho ser capaz de manter o trabalho por muito tempo. Dependendo de como o time irá se comportar daqui pra frente, acho que seria necessário procurar outro técnico para a próxima temporada ou, em uma hipótese mais difícil, Ranieri mudar radicalmente o time.


Boa notícia é que Schmeichel voltou a jogar e a fazer suas defesas milagrosas, que sempre salvam o Lester do pior. Foi um dos protagonistas do último jogo contra o Stoke City na casa do adversário, onde empatamos em 2 a 2 no final do jogo aos 90 minutos.