Higuaín em forma é a melhor notícia da pré-temporada da Juventus

O ano vai ser empolgante. As vitórias nos amistosos da pré-temporada mostraram que o time está preparado para Serie A e Liga dos Campeões. Bater Sevilla e Real Madrid na Peace Cup foi a demonstração que a felicidade reinaria no Piemonte. Mas só até cair para Bordeaux e Bayern de Munique na Europa, tomar um vareio na eliminação para o Fulham na Liga Europa e cair pelas tabelas até a 7ª colocação final na Itália com Diego, Alessandro Del Piero, David Trezeguet, Martín Cáceres e Felipe Melo, em 2009.



Curta o Gazzebra no Facebook. Siga Murillo Moret no Twitter.



Resultados de pré-temporada valem nada, apesar que é bonito ver Claudio Marchisio marcando um golaço na vitória contra o PSG, Paulo Dybala aproveitando a viagem aos Estados Unidos para distribuir rolinhos e Carlo Pinsoglio defendendo pênalti contra a Roma. Significativo é aprimorar forma física nesse retorno de férias e, por isso, Gonzalo Higuaín é a melhor surpresa que a Juve teve.


Getty Images
Getty Images

Fotos podem enganar, mas Higuaín está realmente mais fino em relação à temporada passada


O atacante foi azucrinado pelo público por estar visivelmente mais gordo nos treinos iniciais de 2016-17. Ainda no Napoli, Higuaín já tinha um corpanzil. Não foi uma desvantagem em nenhum dos anos: primeiro quebrou o recorde histórico de gols em uma temporada na Serie A; depois, supostamente mais gordo, fez mais 32 pela Juve – sendo 24 na competição de pontos corridos.


Pipita tem seguido um plano nutricional bolado por profissionais da Juventus e começou a treinar antes mesmo da digressão nos Estados Unidos, iniciada no último dia 22. Ele mesmo admitiu que está mais maduro e, por consequência, mais focado do ponto de vista físico e mental em relação ao ano passado. A preparação é benéfica tanto para ele, sobretudo em ano de Copa do Mundo, e para as pretensões do clube, buscando ainda mais tabelas com Dybala como no gol ante os franceses.



De resto, as peças, aos poucos, vão se encaixando. Douglas Costa e Federico Bernardeschi pouco jogaram para qualquer mínima avaliação de quem os vê de fora. Rodrigo Bentancur e Rolando Mandragora provavelmente firmaram a permanência no elenco, ao invés de serem mandados para empréstimos. Os erros de Mehdi Benatia (contra o Barcelona) e Andrea Barzagli (vs PSG) são segundo plano; o lado positivo é que nenhum dos atletas suscetíveis a lesões sentiram qualquer incômodo – incluindo Giorgio Chiellini e Marchisio.