Allegri e Pjaca: a ironia gostosa de derrubar invictos

No fim, ele estava certo. A repreensão em Leonardo Bonucci, deixando o zagueiro nas tribunas do Dragão, e o momento exato para inserir Marko Pjaca e Dani Alves no jogo que derrubou um mandante invicto na temporada (de fato, desde abril de 2016). Massimiliano Allegri é responsável pela vitória e por essa Juventus grosseira, irônica e de mentalidade ampla.



Curta o Gazzebra no Facebook. Siga Murillo Moret no Twitter.



Enquanto treinada por Antonio Conte, o que mais se via na Senhora continental era impaciência. O bianconero, contudo, permaneceu com a cabeça no lugar até sair o primeiro gol legal - o que já bizarro, pois Paulo Dybala teve um incorretamente anulado.


Vale uma nota, também, sobre a insistência correta no esquema que tem dado certo na Itália. Nos oito jogos que antecederam este, a Juve ganhou todos quando postada na formação 4-2-3-1. Atacando, Juan Cuadrado e Mario Mandzukic viram pontas; defendendo, Gonzalo Higuaín espera na frente das linhas.


ESPN.com.br | Lateral no 'radar' de Tite é expulso, Dani Alves marca, e Juve vence o Porto


Getty Images
Getty Images

Pjaca renasceu com as esferas do Dragão


O problema: a expulsão infantil e idiota de Alex Telles. Sem o lateral, o Porto se fechou como pode. A Juventus estava caindo no golpe do Crotone - que segurou a Senhora por uma hora no Ezio Scida. Pjaca, ao colocar a bola no chão com calma, encontrou o primeiro tento. Alves, na sequência, vazou Iker Casillas mais uma vez na carreira.


A beleza: notar a mentalidade desta Juventus em situações adversas. O time em nenhum momento foi atacado, mas fora de campo foi ininterrupto. A torcida portuguesa, como tem de ser, jogou contra. Os bianconeros, ao contrário de outras épocas, não caiu na pilha dos atletas portistas - sobretudo Yacine Brahimi, Ruben Neves e Jesús Corona.


A ironia: o primeiro gol nesse difícil jogo saiu exatamente dos pés do jogador que havia falhado em marcar com a camisa da Juve e tem a finalização como um dos piores atributos dele. Bom dizer que o croata estava com o Diabo no Dragão.


A vantagem para a partida de volta é monstruosa, mas não vou zicar dizendo que o bianconero já está nas quartas de final da Champions League.


Falei.