As boas impressões da turnê asiática da Inter

Divulgação/Internazionale
Divulgação/Internazionale

O título foi apenas um complemento - quase insignificante - do bom trabalho feito


Partindo do princípio que a pré-temporada é um período para recuperar a forma, dar tempo de jogo e preparar a equipe, por enquanto a Inter está bem com Luciano Spalletti. Se um ano atrás era humilhado, dessa vez o time faz um trabalho bastante honesto, mesmo com todas as dificuldades ao redor do clube. No calendário apertado da turnê asiática, com quatro amistosos em oito dias, a parte física talvez não tenha tido a atenção merecida, mas o grupo deu boa resposta em vários aspectos.


Diante de Schalke, Lyon, Bayern e Chelsea, acima de tudo a Inter foi competitiva, com um jogo ordenado, seguro defensivamente e coerente com a bola, ainda que em um ritmo mais lento, sem seu principal jogador e com outros que provavelmente não farão parte do grupo para a temporada. Os novos reforços Milan Skriniar e Borja Valero, por exemplo, deixaram ótima impressão, mostrando o que se esperava e um pouco a mais, enquanto outros como Miranda, Geoffrey Kondogbia e João Mário deram sinais importantes.


Isso também não quer dizer que o time está pronto, assim como o período expôs as necessidades mais carentes do elenco, mas de qualquer forma é um bom caminho para começar o ano. São vitórias que ajudam a recuperar a confiança do grupo e que dão força para o trabalho de Spalletti. Por fim, a equipe tem mais três semanas de preparação e dois amistosos no sul italiano - Villarreal (dia 6) e Bétis (dia 12) - antes da estreia na Serie A no dia 20 contra a Fiorentina.


Getty Images
Getty Images

Melhor em campo contra Bayern e Chelsea, Skriniar atuou com muita confiança


Falando de mercado, na próxima semana a esperança é que finalmente Dalbert e Matías Vecino assinem com o clube - como sempre, só serão destacados aqui quando oficializados. O resto, então, depende das definições de Ivan Perisic, Stevan Jovetic, Jeison Murillo, Marcelo Brozovic e entre outros. O final da janela provavelmente será movimentado para a direção, que precisa entregar um grupo mais equilibrado para Spalletti. O bom desempenho na Ásia com certeza não exclui isso e ainda há passos importantes para ter um time em condições.