Skriniar e Valero: reforços pontuais para um mercado ainda lento da Inter

Depois de mais um ano decepcionante após um verão bastante movimentado, com mais de 150 milhões de euros gastos em novos reforços, que não renderam mais do que 62 pontos insuficientes para manter o clube na Europa, a expectativa era de que a Inter tivesse mais foco, precisão e rapidez nas novas contratações. Diante das movimentações de Milan e Roma, com certeza o interista ficou um tanto quanto frustrado, mas ainda há confiança e tempo para acreditar que esse cenário mude.


Por causa das obrigações com o Fair Play Financeiro, o clube teve que adiar as contratações e focar nas vendas, conseguindo atingir o objetivo com sobras. Mas algumas saídas programadas ainda não aconteceram, e isso prejudicou a programação da diretoria e da comissão técnica, tendo que reintegrar jogadores indesejáveis na preparação para a temporada. Lentidão essa que se repete nas entradas, com anúncios tardios das transferências de Milan Skriniar e Borja Valero.


De qualquer forma, a dupla enfim foi anunciada e está à disposição de Luciano Spalletti desde ontem. De cara, os dois são reforços pontuais para o elenco e com o aval do treinador, inclusive o espanhol um pedido expresso para formar seu sistema. Skriniar, zagueiro eslovaco de 1995 e com passagem de um ano e meio na Sampdoria, custou 23 milhões de euros e assinou um contrato de cinco anos. Já Borja, meio-campista espanhol de 1985 e com cinco anos na Fiorentina, custou 5,5 milhões de euros, outros 1,5 milhões de euros de bônus e contrato de três anos.


Getty Images
Getty Images

Apesar da pressão por resultados imediatos, Skriniar deve ser um zagueiro para muitos anos para a Inter


Revelação na última temporada depois de um período de adaptação na Itália, Skriniar cresceu consideravelmente com Marco Giampaolo em um sistema que lhe permitiu expor o melhor do seu futebol: esteve confortável com o posicionamento alto da primeira linha graças à boa noção de espaço e agilidade que tem, além de ter participado ativamente da saída de bola e construção das jogadas com boa técnica nos passes, tomada de decisão e facilidade para trabalhar pela esquerda, sendo um destro natural. Se trata de um defensor pouco agressivo, mas com boa tempo para desarmar e interceptar.


Objetivo do Atlético de Madrid antes do embargo da Fifa, recentemente foi eleito um dos dois melhores zagueiros da Euro sub-21, disputando três partidas como capitão da surpreendente Eslováquia, eliminada na fase de grupos por pouco. Na seleção principal conquistou espaço desde a primeira data Fifa de 2017, assumindo um posto no time no meio-campo, atuando com muita segurança e qualidade como mediocentro ao lado dos também “italianos” Juraj Kucka - que acabou de ser transferido - e Marek Hamsík.


A questão principal, se tratando de um jogador que já se provou tática e tecnicamente, então, é o psicológico. Com 22 anos, tem pouco mais de 150 partidas no profissional, titular precoce do Zilina desde os 18, mas que nunca jogou em um ambiente como o da Inter, com toda a pressão que cerca o clube. Quando pisar pela primeira vez no San Siro como nerazzurro é que teremos uma ideia real de quem é. A princípio, é um reforço necessário para o elenco, apesar de não ser de fato o que faltava para o centro da defesa.


Divulgação/Internazionale
Divulgação/Internazionale

Temos um regista


Borja Valero é uma história totalmente diferente. Aos 32 anos, chega no auge da carreira e com gás para ter pelo menos mais dois anos de grande nível na elite. Formado no Real Madrid, mas sem passagem pelo time principal, foi um dos líderes da Fiorentina nos últimos anos, inclusive com a braçadeira de capitão, sendo bastante respeitado no clube e um ídolo da torcida. Não à toa, a transferência demorou para se concluída e gerou muita comoção em Florença.


O que mais traz confiança na sua contratação é que se trata de um pedido de Spalletti, que vê relevância no espanhol como uma necessidade para o grupo, especialmente após a saída de Éver Banega, até então único playmaker do elenco. Por exemplo, em 166 partidas na Serie A, Borja só não deu mais assistências (40) que Marek Hamsík (50) e Miralem Pjanic (42) desde que chegou na Itália, criando diretamente 343 oportunidades de gol nos últimos cinco anos.


Se trata também de um jogador com ótima condição física, com média de 33 partidas e 85 minutos/jogo no campeonato, e um histórico pequeno de lesões, nenhuma o tirando por mais de um mês. Em Florença, fez de tudo e mais um pouco no meio-campo, atuando em diversas funções com um posicionamento preferencialmente entre o centro e a esquerda, e Spalletti certamente irá explorar isso, embora no momento o espanhol chegue para funcionar como um regista na primeira linha do meio-campo ao lado de Roberto Gagliardini.


Portanto, na expectativa de contratações importantes, Skriniar e Valero são reforços pontuais para o grupo, que já conta com um bom material, mas precisa de equilíbrio e novas opções. É um bom caminho para se começar, mas não custa lembrar que o campeonato começa daqui pouco mais de um mês.