Na Inter, todos falam e prejudicam o clube

É incrível como a Inter vive um círculo vicioso. Não podemos nem mesmo aproveitar alguns meses de bom futebol, vitórias e paz. Bastou alguns tropeços inesperados para o time sair da zona europeia e o caos ser instaurado na Pinetina. Mais do que tudo, além de toda a desorganização administrativa que levou o clube a isso, ainda não aprenderam a contornar esses momentos.




Depois do jogo contra o Crotone, o diretor esportivo Piero Ausilio falou tudo que os torcedores queriam ouvir, mas isso não necessariamente precisava ser externado. E o que aconteceu foi justamente uma péssima repercussão das suas duras palavras ao grupo via imprensa, mesmo porque os jogadores, apesar da postura indiferente às derrotas, não devem virar bode expiatório de problemas que vão muito além do campo.



Não mudamos os objetivos por uma partida perdida assim, com um atitude sem a cara da Inter, sem a cara de uma equipe da Serie A, que não pode pensar ter vencido o jogo antes de entrar em campo. Fomos presunçosos, arrogantes e quando entramos em campo assim acontecem essas coisas.


- Piero Ausilio à Premium Sport no último domingo



Gente que não tem nada a ver com a atual gestão do futebol interista, mas tiveram sua importância anos atrás, reagiram de forma burra depois da derrota. Marco Materazzi disparou contra Ausilio e Roberto Mancini abriu o jogo expondo problemas com a direção. Por outro lado, Nicola Berti e Luisito Suárez reforçaram as críticas aos jogadores com saudosismo chato de sempre.


Reprodução/Internazionale
Reprodução/Internazionale

Como a voz do vestiário, Gagliardini bateu em Ausilio e levou a novos problemas no clube


Em meio a esse caos, hoje o clube apresentou sua nova parceira, a SWM Motorcycles, montadora milanesa de motocicletas que existiu nos anos 1970 e 80 e foi refundada em 2014 após aquisição do grupo chinês Shineray. Mais um daqueles acordos feito graças à força da Suning na China para aumentar a receita do clube, visando terminar o balanço em equilíbrio e de acordo com as normas do Fair Play Financeira da dona Uefa.


Como parte da cerimônia, um jogador esteve presente e depois falou em coletiva de imprensa. Por algum motivo, escolheram Roberto Gagliardini, quem tem menos tempo no grupo, contratado há três meses, e recentemente completou 23 anos. Talvez acreditaram que teria uma posição mais neutra, pelo pouco tempo de casa, mas pesaram sua inexperiência e a força do vestiário sobre ele.


O italiano externou a posição dos jogadores em relação às declarações de Ausilio, expondo um grave problema entre eles e o diretor, que não é recente, mas ainda não era público, além da confusa gestão interista no futebol.



Não concordo com o que o Ausilio falou, mas devemos escutar suas palavras e entender porque ele falou isso. Não devemos repetir mais uma apresentação desse jeito. (...) Nós não puxamos da tomada, o objetivo é vencer todas as partidas. É loucura dizer que aqui não há jogadores de personalidade. Certamente é outra coisa, vamos trabalhar esta semana para o derby.


- Roberto Gagliardini em coletiva de imprensa nesta terça-feira



Difícil prever o que acontecerá agora. Tudo isso é muito novo para a Suning, que certamente nunca passou por problemas como esses no Jiangsu. Ausilio, que estava próximo de renovação de contrato, pode nem continuar, assim como é esperado algumas mudanças na diretoria daqui alguns meses. Sem falar no grupo de jogadores. Com ou sem Europa, o verão será muito quente em Appiano Gentile - para variar.