Eterno 7 a 1: um conto de fadas no San Siro

Reprodução/Internazionale
Reprodução/Internazionale

Eterno 7 a 1


Revendo a partida de ontem, ainda é difícil acreditar como tudo aconteceu. A facilidade com a Inter marcava gols a cada ataque, a tripletta de Icardi em nove minutos, a superioridade de Gagliardini e Kondogbia por dentro, somado aos apoios de Banega, o espaço que Candreva e Perisic tinham pelos lados e o domínio dos defensores com a larga vantagem criada em um curto espaço de tempo. Tudo começou aos 17 minutos, e aos 34 o placar do San Siro já marcava 5 a 0.


O mais curioso é que a Atalanta começou melhor. Por 15 minutos, parecia que veríamos mais um tropeço frustrante contra um adversário direto. A forte marcação por pressão do time de Gian Piero Gasperini deixou os nerazzurri em apuros, sem saída. Até que os jogadores começaram a perceber o espaço que Icardi tinha para correr livre. Foram duas tentativas fracassadas até Medel lançar Maurito e este ser derrubado na meia-lua por Rafael Tolói. Ficou a bronca pela não expulsão do brasileiro, mas no rebote da cobrança de Banega, Icardi vingou.


Novamente ao espaço, dessa vez na área, após lançamento de Banega e pivô de Perisic, o capitão interista ganhou na antecipação de Spinazzola e na saída de Berisha forçou o pênalti. Não foi tocado, mas leu bem o movimento do goleiro albanês. Na cobrança, uma cavadinha no limite do travessão, só para dar aquele susto antes do final feliz. Na sequência, depois de escanteio curto, Banega levantou na primeira trave e lá estava Icardi para antecipar e ampliar a vantagem.


Reprodução/Internazionale
Reprodução/Internazionale

Acorda, Bauza


Pouco depois, foi a vez de Banega aproveitar o apagão dos bergamascos. Em jogada pela direita de D’Ambrosio e Candreva, o ponta cruzou na entrada da área para o argentino chutar no canto oposto do goleiro. No lance seguinte, roubo de Gagliardini e contra-ataque puxado por Icardi, que abriu para Candreva na direita e novamente o italiano cruzou para o meia-atacante da camisa 19 marcar o quinto gol. Com o time relaxado, Freuler fez bonita jogada, passou por três e descontou no final do primeiro tempo.


Se ainda havia margem para uma reação, Banega e Gagliardini esfriaram logo após o intervalo. Jogada pessoal do argentino pela esquerda depois de roubo de Ansaldi e no toque para o centro da área a bola chegou no meio-campista italiano, ampliando o marcador contra sua ex-equipe. Já na metade da etapa final, Banega marcou sua tripletta em cobrança de falta no contrapé de Berisha, bode expiatório de um Atalanta desconfiante após os gols de Icardi.


Mais fácil do que o esperado, a Inter goleou um adversário direto e recuperou um posto seguro na zona europeia. Mas ainda longe do principal objetivo, afinal, Roma e Napoli também continuam ganhando suas partidas. Agora restam dez rodadas e 30 pontos.


P.S.: Que festa maravilhosa da torcida ontem. Mesmo que fosse um jogo importante, não havia muita expectativa da direção, que até fechou o terceiro andar, mas os torcedores compraram todos os ingressos disponibilizados e lotaram o estádio até onde foi possível, com pouco menos de 60 mil espectadores - o último andar tem mais de 19 mil lugares.