Inter: deixem Pioli trabalhar em paz

Reprodução/Internazionale
Reprodução/Internazionale

Muita calma nessa hora. Deixa o homem trabalhar


Adivinha quem começou a semana com o trabalho contestado. Depois da exaltação com as sete vitórias consecutivas, a derrota para a Roma levou os jornais contestarem o trabalho de Stefano Pioli. Em 14 partidas no comanda da Inter na Serie A, o parmense tem aproveitamento de 73,8%, com 10 vitórias. São também três derrotas e um empate.


A estreia foi um emocionante 2 a 2 com o Milan e o time caiu logo em seguida para o Napoli por 3 a 0. Neste ano, perdeu para Juventus e Roma. Nos jogos grandes, a Beneamata só ganhou de Fiorentina e Lazio. A bronca com o treinador interista está aí.


Com Pioli, a Inter voltou a ganhar partidas que deve sempre ganhar, como contra Genoa, Sassuolo, Chievo, Palermo e Bologna, mas caiu contra adversários diretos e rivais. Não tem como fugir disso, é claro. Mas essas partidas, especialmente contra Juventus, Roma e Napoli, deixaram claro a diferença da equipe contra as três maiores forças do futebol italiano.


Ainda nos iludimos na busca por vaga na Liga dos Campeões, mesmo com o tropeço e a sexta posição, até porque o Napoli caiu novamente para Atalanta, mas não tem como negar a desvantagem técnica, tática e física, mesmo que o elenco nerazzurri seja o segundo mais caro do país. Falta um grupo mais completo e equilibrado, além de maturidade. O trio acima da Inter não chegou ali comprando um elenco a cada ano e gastando sem coerência.


Que na próxima janela de transferências, com a permissão da Uefa, a direção saiba usar melhor o dinheiro da Suning e monte um grupo capaz de colocar a Inter onde deve sempre estar - não merecer, como sugerem os novos padrões de classificação para a Liga dos Campeões. Sobre Pioli, que tal esperar o final da temporada? Sem mentiras e especulações, de preferência.