Inter: agora, vencer é mais importante do que jogar bem

Ricardo Duarte
Ricardo Duarte

Após mais uma assistência perfeita de D'Alessandro, Leandro Damião fez o gol da vitória colorada


"Este é o momento de vencer"


Foi dessa forma, digamos, ENFÁTICA que Guto Ferreira respondeu a um dos repórteres que, na coletiva de imprensa da manhã de ontem, lhe perguntou se não era o momento de o time apresentar um futebol mais vistoso. Essa, por sinal, tem sido a principal crítica ao Inter e, especialmente, ao seu treinador: o time conquistas as vitórias, mas sem dar espetáculo. A partir do momento em que o Colorado se encontrou na competição, as vitórias vieram em sequência (são 11 nos últimos 13 jogos), sem que, necessariamente, o time tivesse jogado bem. E isso chega a ser um problema? Para mim, de forma alguma.


Esses últimos dias ilustraram bem o que é disputar a Série B. Houve um jogo bem difícil contra o América-MG, segunda melhor equipe da competição. Depois, um relativamente fácil contra o Santa Cruz, um dos times do Z-4. Na sequência, uma 'final de Copa do Mundo' contra o Paraná. E, por fim, a reabilitação diante do Brasil-RS, numa partida cujo placar não corresponde à superioridade colorada, principalmente no 2º tempo. Quatro jogos em 13 dias, com direito a altos e baixos e desfalques por conta de suspensões ou lesões. Mesmo assim, foram três vitórias. Mesmo assim, seguimos insatisfeitos. Por quê?


Eu sei, nos acostumamos a ver o Inter sempre no topo, entre os grandes da Série A. Mas essa visão, de certa forma arrogante da nossa parte, acabou nos causando sérias dificuldades na primeira metade do campeonato. Ou alguém já esqueceu como era a produção do time no final do trabalho do Zago e no início do trabalho do Guto? Nas primeiras 10 partidas do campeonato, por exemplo, foram seis empates e um aproveitamento bem diferente do atual.


Sempre se cobrou que o Inter deveria "entender" que estava disputando a Série B. Que tinha que aceitar as dificuldades da competição porque sua história vitoriosa não entraria em campo. Demorou, passamos por apertos desnecessários e derrotas inesperadas, mas chegamos lá. Hoje, o Inter é um time que luta até o fim pelo resultado. Ainda há momentos de falta de concentração (evidenciados na derrota pro Paraná), mas o time de hoje é bem diferente daquele que começou o campeonato querendo jogar um futebol acadêmico e, após vencer o Londrina com tamanha facilidade, houve quem dissesse que seríamos campeões invictos.


Se entrou na Série B com resquícios da arrogância que nos rebaixou, o Colorado sairá dela muito mais humilde e consciente das suas qualidades e defeitos. Porque hoje é um time COMPROMETIDO não apenas com o resultado, mas, principalmente, com o TORCEDOR. Um torcedor que não vai para o Beira-Rio exigindo ver um espetáculo, mas um time que se dedique do início ao fim e que, assim como a torcida, vibre do primeiro ao último minuto e não desista nunca. Se o preço a pagar for um futebol aquém do que este elenco poderia apresentar… que seja. Porque Guto tem razão: este é o momento de vencer.


ESPN.com.br | Damião marca e Inter se reabilita na Série B com vitória sobre o Brasil



#VamoInter
#NadaVaiNosSeparar
#ClubeDoPovo