Noite histórica no Brinco de Ouro: Guarani 6 x 0 ABC

O futebol é mágico, é épico, é indescritível. E momentos como a história da vitória mítica do Guarani, escrita no gramado do Brinco de Ouro da Princesa na noite de 23 de outubro de 2016, desafiam a lógica, tangenciam a inverossimilhança, driblam o impossível. Afinal, foi nesta data que o Bugre protagonizou uma das viradas mais sensacionais de toda a história do futebol brasileiro, ao golear o ABC por 6 a 0 após ter perdido o primeiro jogo das semifinais da Série C por 4 a 0.


Quem viu não esquecerá jamais deste capítulo incrível que o Guarani escreveu no gramado do Brinco, com a ajuda monstruosa de José Fernando Fumagalli: o camisa 10 que, após chegar a 250 jogos vestindo a camisa alviverde, fez três gols e uma assistência, deu chute no travessão, provocou a expulsão de Jones Carioca (artilheiro da Série C com 12 gols) e liderou o Bugre com a melhor de todas as atuações que já teve honrando as cores do único campeão brasileiro do interior.


Reprodução Twitter @oficialguarani
Reprodução Twitter @oficialguarani

Esta foi a camisa comemorativa que Fumagalli usou na vitória sobre o ABC, em homenagem a seus 250 jogos defendendo as cores bugrinas: com os 3 gols que fez no 6 a 0 em cima do ABC, Fumagol chegou a 81 tentos pelo Guarani


A redenção de um time que havia sido esmagado pelo ABC de Natal no primeiro jogo por 4 a 0 começou logo aos 8 minutos do 1º tempo, quando Leandro Amaro cabeceou para as redes a falta cobrada pelo mestre Fumagalli. Aos 25, Fumagol cravou com mira de sniper o segundo gol, em outra cobrança mirabolante de falta. Aos 32, o ABC ficou com um a menos após Jones Carioca responder a uma provocação de Fumagalli e ser expulso. Ao final do 1º tempo, as perspectivas do Guarani obter uma virada histórica eram mais reais do que nunca, e o 2º tempo cumpriu estas expectativas com louvor: Fumagalli fez mais dois gols aos 3 e 8 minutos, Alex Santana cravou um petardo de fora da área aos 31 e Pipico deu números finais a esta goleada aos 35 minutos da segunda etapa.



A virada mítica obtida pelo Guarani, protagonizando uma das maiores reviravoltas já vistas no futebol, deveria fazer com que o Brinco de Ouro da Princesa se tornasse Patrimônio Histórico da Humanidade e fosse tombado (e, claro, com estátua de Fumagalli na entrada). O Guarani enfrentará agora o Boa Esporte nas finais da Série C, tendo a missão de tornar-se o primeiro campeão das três divisões principais do Brasileirão: após os títulos da Taça de Ouro em 1978 e da Taça de Prata em 1981, e da virada espetacular obtida nestas semifinais, quem ousará duvidar das chances deste time conquistar a tríplice coroa?