Que o Grêmio fique atento: Nota do Wilsterman aumenta desconfiança

Prensa River
Prensa River

Marcação frouxa do time boliviano gerou estranheza acerca da partida


Causou estranheza o 8 a 0 do River Plate diante do Jorge Wilstermann, que garantiu o time argentino na seminfinal da Libertadores da América. É absurdamente anormal um placar tão dilatado em uma fase de quartas de final da competição mais importante do continente. Ainda mais se levarmos em conta que a equipe boliviana perdeu apenas por 1 a 0 para o Palmeiras em São Paulo na primeira fase e eliminou o Atlético Mineiro nas oitavas de final. Além do 3 a 0 aplicado no próprio River Plate na partida de ida.


A postura boliviana no Monumental suscitou desconfiança nos amantes do futebol espalhados pela América Latina. Não faziam faltas, ofereciam muito espaço, tiravam o pé das divididas, chegavam frouxos nas jogadas ou nem chegavam, assistiram o River Plate jogar. Foi tão anormal esse comportamento que os grandes meios de comunicação do continente expuseram a sua estranheza. Os torcedores de diversos clubes da América Latina demonstraram a sua desconfiança. O clima pesou tanto que o Jorge Wilsterman obrigou-se a publicar uma nota oficial negando que tenha vendido o jogo ao River.


Confira a nota oficial do Jorge Wilsterman na íntegra e traduzida pelo meu amigo, o argentino Flaco Amarelo. Foram mantidos todos os erros de concordância, frases desconexas, tudo original, conforme publicado pelo clube boliviano. 


Nas últimas horas surgiu uma calúnia sem fundamento que acusa nossa instituição de ter feito um acordo na partida contra o River Plate com a Conmebol, destacando nomes e valores que chegam perto do absurdo ao existir pessoas que lamentavelmente caem neste jogo de mentiras compartilhando tão falsa informação e duvidando da honestidade e prestígio de nossa instituição e da Conmebol, o Club Jorge Wilstermann presidido pelo Engenheiro Grover Vargas declara que:


- O jogador Alex Silva não fez nenhuma declaração diante de nenhum meio de comunicação ao final do jogo frente ao River Plate.


- Nosso presidente, Grover Vargas e nosso treinador Roberto Mosquera jamais se reuniram com o presidente da Conmebol Alejandro Domínguez.


- Nosso treinador Roberto Mosquera, antes, durante e depois da partida, jamais declarou que a suplência de Marcelo Bergese se originou por problemas na coluna ou dores estomacais.


Para esclarecer estes pontos se espera que nossa nossa torcida se una neste momento em que nosso time necessita todo seu apoio, convidamos a trabalhar com a verdade e não cair nas invenções absurdas que difamam nossa instituição e a Conmebol, pedimos respeito para com o nosso Club e respeito à inteligência de nossa gente e imprensa em geral que estamos seguros jamais cairão na ingenuidade de acreditar em tanta ficção.


Esta nota oficial só aumenta a desconfiança acerca da partida. Ao tentar clarear a situação, o Jorge Wilstermann deixou tudo ainda mais confuso. Existe na Argentina muitas desconfianças sobre o atual River Plate já faz algum tempo. Lá é encarado como choro de torcedor do Boca, mas a Copa Libertadores 2015, as histórias de doping, as últimas transferências, tudo isso causa estranheza no país vizinho.


Obviamente que, sem provas, ninguém pode afirmar nada. Mas é certo que a Copa Libertadores também se ganha politicamente e nos bastidores. Que o presidente Romildo Bolzan fique atento aos acontecimentos e defenda com todas as forças os interesses do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense.