Tome coragem, Grêmio, convide a moça para dançar

O Campeonato Brasileiro é a mulher dos sonhos que não deixa de olhar para o Grêmio. Sai do canto do salão, Tricolor, para de fitar o copo de cerveja como se olhasse para o horizonte e tome coragem. Caminhe em direção a ela, a convide para uma dança, algumas cervejas, fale sobre a vida, descubra o que ela pensa do mundo, instigue a moça, faça ela querer você ainda mais perto. Assim como o rapaz tímido que se encontra travado, o Grêmio ainda pode sonhar.


Assim como o rapaz tímido se atrapalha todo ao abordar a moça dos seus sonhos na festa, quando o Grêmio quis de fato o Campeonato Brasileiro, se atrapalhou em pênaltis perdidos, goleiros que tiveram a atuação de suas vidas e na aparente displicência contra o Vasco da Gama. A indiferença não fará o rapaz conquistar a mulher que permeia o seu imaginário e nem fará o Grêmio conquistar o Brasileirão.


Além dos momentos jogados fora, estes que não voltam mais, o Grêmio abdicando de todos os titulares contra Sport, Palmeiras, Botafogo, Atlético Paranaense e o rapaz que não aproveitou várias deixas dadas pela moça e ficou no canto do salão, falando com os amigos, sem a coragem necessária para ir ao encontro dela. São pontos que não voltam mais e são chances que o rapaz não aproveitou.


Divulgação
Divulgação


A moça acaba saindo com outro marmanjo qualquer e o troféu acaba indo para o armário de outro clube qualquer. Esse é o final rotineiro. Os sonhadores, os poetas, os rebeldes sem causa, geralmente saem machucados deste mundo cruel e selvagem que diariamente destila ódio e preconceito.


Mas a nossa história ainda não acabou. Sendo extremamente sensível ao jeito lúdico do rapaz, a moça segue firme negando as investidas dos outros marmanjos e esperando a iniciativa daquele moço com o ar sonhador. Mesmo com toda a competência da campanha do Corinthians, o Campeonato Brasileiro ainda tem na mente o futebol espetacular apresentado pelo Grêmio e quer que ele seja o campeão deste ano.


Que o rapaz tome finalmente coragem e chame a moça para dançar. E que o Grêmio retome a confiança do auge do seu futebol e vá buscar o que é seu. Em uma sociedade que vive baseada na ganância e no dinheiro, que esmaga aqueles que ousam pensar fora da caixinha, a poesia agradece nas raras vezes em que os sonhadores saem vencedores.