Grêmio merece mais o título do que o Corinthians

GazetaPress
GazetaPress

Pedro Rocha é vital no sistema ofensivo do Grêmio


Faz um bom tempo que tenho dito neste espaço que o futebol praticado pelo Grêmio é o melhor do Brasil e um dos melhores da América Latina. E que, por este motivo, analisando o merecimento, expressão muito utilizada pelo técnico da Seleção Tite, o justo é que o Campeonato Brasileiro deste ano fique na Arena do Grêmio, e não na Arena Corinthians. E isso tem me feito alvo de xingamentos por parte dos torcedores do time paulista, o que é natural, mas vamos aprofundar o debate com mais calma.


O Corinthians do ótimo Carille tem muitos méritos nesta campanha incrível que faz até o momento no Brasileirão. É um time organizado, muito bem armado defensivamente e eficiente no ataque. Dito isso, é beneficiado pelo calendário. Enquanto o Grêmio joga com intensidade o Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores, o Corinthians tem a Sul-Americana espaçada e pode focar suas forças, na maior parte do tempo, na competição nacional. As decisões nas Copas desgastam o Grêmio. Essa diferença é uma grande vantagem para a equipe paulista.


Se formos analisar a qualidade do futebol, o do Grêmio é melhor que o do Corinthians. O time do mestre Renato Portaluppi tem o toque de bola envolvente e dinâmico, além do talento individual e da movimentação intensa de seus jogadores. É a simbiose perfeita entre a técnica e o sistema tático. O Grêmio atingiu um nível tão alto no seu jogo, que mesmo quando empata ou perde, controla e atua sempre melhor do que os seus adversários. É um time frio e inteligente.


O Grêmio, guardadas raras exceções, sempre prefere a triangulação, a troca de passes, mesmo quando acuado em sua defesa. O Grêmio ama ter a posse de bola, o controle das partidas, não se importando se está atuando dentro ou fora de casa, e assim é o time que mais cria chances de gol no Campeonato Brasileiro. O Corinthians é ótimo defensivamente, o Grêmio é ótimo na defesa, no meio campo e no ataque. O futebol do time gaúcho é muito mais completo e agradável de ver.


O Corinthians abusa dos chutões e rotineiramente atua retrancado, buscando uma bola por jogo para sair vencedor. É um futebol eficiente, mas comum, feio. Se o título ficar nas mãos do Corinthians, será mais nocivo ao futebol brasileiro do que a eliminação da Seleção em 1982 ou até mesmo do que o 7 a 1. Será o título da mediocridade. O título do Grêmio será o título do futebol, do toque de bola, do talento, da magia, da brasilidade. Ainda resta muito tempo para os Deuses do Futebol corrigirem de forma justa o rumo dos acontecimentos, coroando o Tricolor dos Pampas como campeão brasileiro.


Pra não deixar passar em branco o empate diante do São Paulo, o gosto que ficou é de amargura, pois o Grêmio comandou todas as ações do jogo e teve oportunidades para sair do Morumbi com uma vitória convincente. Um descuido possibilitou o empate. No entanto, as belas atuações nos enchem de esperanças para o futuro. Seguimos fortes na Libertadores, Copa do Brasil e Brasileiro. Vamos aproveitar esta fase que é mágica. Futebol é muito mais do que resultados. As sensações produzidas durante os noventa minutos são de extrema importância, e é extremamente prazeroso ver este Grêmio em ação.