Grêmio está jogando fora rara chance de ser campeão do Brasileirão

GazetaPress
GazetaPress

Grêmio está desperdiçando rara chance de ser campeão nos pontos corridos


O Grêmio tem o time titular mais forte do Brasil. E ainda possui quatro ou cinco ótimas alternativas no plantel. É o melhor futebol apresentado no país, opinião da maioria dos especialistas, e um dos melhores da América do Sul. Neste formato do Campeonato Brasileiro, disputado nos pontos corridos, é raro o nosso clube ter tão boas chances de ser campeão como nesta temporada. A última vez foi em 2008.


Precisamos colocar a mão na consciência e entender que chances assim têm aparecido na nossa vida a cada dez anos. Time gaúcho, sem a arbitragem, sem a CBF, sem o apelo midiático dos times de Rio e São Paulo, sem o mesmo poderio financeiro de Corinthians, Flamengo, São Paulo, para ser campeão brasileiro, só vivendo uma fase mágica, que junte time competitivo e ajeitado, técnico competente com o grupo de jogadores na mão, gestão que mantém a base e torcida forte. NÓS TEMOS TUDO ISSO ESTE ANO!


Parece que a comissão técnica, direção e boa parte da torcida não estão entendendo que, desde o começo deste formato de pontos corridos, o Grêmio nunca reuniu de forma tão brilhante todas as características necessárias para vencer o Brasileirão como nesta edição. O nosso futebol está em um nível superior aos demais adversários. Óbvio que podemos perder com os titulares, como diante do Corinthians, mas, em 38 rodadas, no longo prazo, a perspectiva aponta para que o título fique nas mãos do melhor e mais regular futebol, o que é o nosso caso.

Com o time titular, o Grêmio é o mais competitivo, brilhante e regular do Campeonato Brasileiro. O time titular só perdeu para o Corinthians. Já o time C perdeu para o Sport e o B perdeu para o Palmeiras. São seis pontos jogados no lixo. E um campeonato tão complicado como este costuma cobrar a conta no final. O cavalo está passando encilhado no Brasileirão, como nunca passou em toda a história dos pontos corridos. E o Grêmio não monta.


Não existe o Departamento de Fisiologia? Três titulares diante do Sport em Recife e três diante do Palmeiras em São Paulo. Os três menos desgastados. Certamente teríamos ao menos mais três pontos nesta conta e não estaríamos arriscando ficar distante do líder. “Ah, mas vamos nas Copas, é mais fácil”. Justamente, tanto na Copa do Brasil quanto na Libertadores, não é necessário, por vezes, um elenco tão forte para ser campeão. No Brasileirão SEMPRE é necessário. E nós TEMOS este ano. Mas reservas bons são úteis em um time mesclado com titulares, não jogando TODOS ao mesmo tempo.


Respondam-me: quando que o Grêmio terá novamente tão boas chances de ganhar o que pode ser considerado um dos mais difíceis campeonatos nacionais do mundo? 2008 e 2017 nos formatos pontos corridos. Quase uma vez por década. E agora vamos desperdiçar novamente? Aquela vez perdemos por ruindade, agora parece será por opção.


São 38 finais, com adversários complicados, estádios pesados de enfrentar, e o Grêmio titular está jogando o MESMO ÓTIMO FUTEBOL em TODOS OS AMBIENTES. Raro futebol de CAMPEÃO. Poderemos ser campeões ainda. Mas o Grêmio está desperdiçando uma chance rara de ser campeão brasileiro com autoridade. Somos os melhores. Mas abdicando de pontos desse jeito fica complicado. O nome deste capítulo é GRÊMIO CAMPEÃO BRASILEIRO. Mas estamos rasgando as páginas da história...