Libera a festa para o Gre-Nal, presidente!

Estamos nos aproximando de um dos clássicos mais importantes da história. Simbolicamente, nem preciso discutir a relevância da partida que acontecerá neste sábado na Arena. Será o primeiro Gre-Nal após o rebaixamento do maior rival para a Série B do Campeonato Brasileiro. O primeiro Gre-Nal após o nosso Penta da Copa do Brasil, o que nos consolidou como o Rei de Copas do futebol brasileiro. Eles prestes a estrearem na segunda divisão; nós preocupados com a Libertadores da América.


Nos últimos anos, a gangorra nunca esteve mais ao nosso favor do que neste momento. Vindo de vitórias como as do 4-1, 5-0, do título da Copa do Brasil, eles amargando o rebaixamento, todos os requisitos estão preenchidos para que no sábado sejamos testemunhas de uma das maiores celebrações da história recente da Arena. Porém, ao que tudo indica, nada disso poderá ser realizado. A festa, infelizmente, está proibida na nossa própria casa.


Todos os materiais, faixas, bandeiras, trapos, barras, instrumentos, todos estes ornamentos que fortalecem o fator local, todos eles estão vetados. A torcida do Inter também está punida, mas, ao que parece, poderá levar a sua banda para o Gre-Nal. Será um dos maiores vexames da nossa história. A torcida do rival entrando com instrumentos na cancha e a nossa não. Em nossa casa. Não acredito que a direção do Grêmio vá permitir este tipo de cenário.


Eduardo Jenisch
Eduardo Jenisch

Torcida gremista, como de costume, calando o Beira Rio


A direção do Inter está batalhando pela festa da sua torcida. A nossa parece acomodada com a situação, parece que só chama a torcida quando o clube está em crise. É preciso entender que a festa liberada fortalece a marca do clube, engrandece o espetáculo, atrai sócios, mais gente para o estádio, além de criar a atmosfera de apoio ao Grêmio. A torcida do Tricolor é uma das mais fanáticas do mundo e já mostrou que pode transformar a Arena no caldeirão que ela nasceu pra ser. Os bumbos, as barras, as bandeiras, os trapos, enfim, não faz nenhum sentido proibir estes materiais na cancha, que criam o verdadeiro clima do futebol, a essência da cultura de arquibancada.


Que se puna os envolvidos em brigas e confusões, mas não é coibindo a festa que as autoridades vão afastar a violência dos estádios. Romildo Bolzan, tu fazes uma boa gestão em vários aspectos, já te elogiei e critiquei aqui e encerro este texto com o meu humilde apelo: dialogue com a torcida, temos que remar todos para o mesmo lado, tudo pelo Grêmio. Cheguem a um entendimento, mas abrace a causa da festa.


É vital que se libere a festa para este Gre-Nal. Que o Departamento Jurídico entre com uma petição, medida, mandado de segurança, não sei o termo técnico, mas algo que permita a entrada dos materiais. E em questões tão importantes assim, é necessário que o presidente bata no peito e assuma responsabilidade de lutar pela festa na cancha sábado.


Um abaixo assinado pela liberação da festa foi feito e já conta com a adesão de quase 6 mil gremistas. Assine também clicando aqui. Atenda o apelo da sua gente, presidente!