O primeiro passo pós-vexame

Facebook/Internacional
Facebook/Internacional

D'Alessandro comemora o primeiro gol no Gre-Nal, para desolação de Rhodolfo.


Quando a hecatombe de um resultado vexatório invade um clube a ponto de derrubar tudo que vê pela frente, o mais importante é saber o próximo passo a dar. Há quem diga que o Gauchão não vale nada, eu concordo. Ele não vale um figo podre. Talvez valha meio figo podre. O que derruba um técnico, rescinde contratos de jogadores, inflama a torcida, jogando-a contra o time, e faz com que dirigentes se descabelem é o vexame. A humilhação de levar um chocolate de Páscoa do maior rival. Mas o mais importante é saber o próximo passo.


"Acontece, é normal", afirma Enderson Moreira. Talvez ele devesse checar o histórico do clássico – que o Grêmio não vence há tanto tempo que até eu preciso dar uma olhada nos números do confronto. Não, isso não é normal. Acontece, mas não é normal. A apatia do técnico na beira do campo dava vontade de demiti-lo ali mesmo, enquanto olhava seu time esfacelado por opções duvidosas ser envolvido e destruído em campo. Mas, calma. Talvez esse não seja o próximo passo.


Então qual é o próximo passo? Bem, a vontade era de encerrar 2014 aqui e já começar a pré-temporada de 2015, mas nós temos que seguir, o ano está recém-começado. A Libertadores está batendo na nossa porta, após brindarmos a segunda melhor campanha geral. O próximo passo é pensar com clareza, com lógica, com calma. Rescindir com metade do grupo e trocar o técnico numa altura dessas é uma atitude temerariamente infantil. Mas esses atletas, juntamente do Enderson, devem entender a gravidade do resultado sofrido no domingo. Além disso, dois jogadores já foram contratados para o restante da temporada: Rodriguinho (meia, ex-Santo André e América-MG, estava no Corinthians) e Arthur (atacante, ex-Coritiba, destaque do Londrina).


O próximo passo é se organizar, é fazer o time voltar a ser coeso da forma que estava sendo. Levamos quatro vezes mais gols em uma partida do que em toda a Libertadores. É de se pensar. Para os desesperançosos, o San Lorenzo também levou 4 – jogando em casa, contra o Lanús. Pelo menos estamos no mesmo barco. Agora é olhar pra frente, esquecer o que passou e não voltar a repetir os erros. O próximo passo é a Libertadores da América. Vamos buscar esse título.