Goiás Fazenda Clube

Não escrevo aqui desde o fim do mês passado. Resolvi me dar uns dias de miniférias para evitar encher o saco de quem me lê com as mesmas críticas e lamentações.


Ter um espaço nobre como este para compartilhar meu pensamento com a torcida esmeraldina é antes de tudo um privilégio. Mas temo muito que este Blog vire um "samba de uma nota só" em relação aos assuntos.


É que o Goiás se repete, se repete, se repete. E repete a mania de se repetir.


Em vez de uma diretoria de um clube de futebol, temos uma fazenda chamada Serrinha. Lá, como em qualquer propriedade rural, há o dono, o capataz, o veterinário, os peões e o rebanho. Não preciso nominar quem seja quem, até porque quem ainda não souber não é torcedor do Goiás e não estará lendo isso aqui. 


Getty Images
Getty Images

Na foto, uma sugestão de atividade para os campos de futebol do Goiás Fazenda Clube


Uma fazenda pode produzir carne, ovos, soja. Pode ganhar o prêmio de melhor nelore da exposição agropecuária, pode ter todos os certificados de erradicação da aftosa, pode estufar os cofres com financiamento e pode entupir o celeiro com uma safra recorde.


Pode tudo isso, mas de lá não vai sair uma equipe de futebol profissional. O máximo que acontecerá é formarem um time de várzea com os peões para jogar aos fins de semana.


Só que o infeliz do esmeraldino insiste em torcer para o time da fazenda!


Pra que, então, eu vou gastar o teclado aqui para falar da derrota para o Guarani? Ou para prever a próxima, inevitável, lá em Criciúma? Ou para me encolerizar com a incompetência de quem nada em dinheiro na Série B e conseguir tomar binóculo do arquirrival 10 vezes mais pobre?


Com toda essa estrutura propalada, com 171 certidões negativas e 33 mil campos, não conseguimos montar um time decente para disputar um campeonato de segunda linha!


Sabem por quê? Ora, porque futebol não é prioridade numa fazenda!


Nessa história rural, somos nós o rebanho. Povo marcado pela sina inevitável e por ver repetido o velho filme. 


Parodiando Millôr Fernandes, o Goiás tem um grande passado pela frente.


Pronto, lamentei!


LINCOLNEANAS


* * * * * Silvio Criciúma, pela última vez: já que o incompetente do presidente não faz isso, peça você mesmo pra sair. Salve sua história bonita no Goiás Esporte Clube desse vexame.


* * * * * Victor Bolt, você precisa ser estudado.


* * * * * Carlos Eduardo, aceite a primeira oferta para ser vendido.