Quem é Chumacero, o artilheiro da Libertadores que o Goiás quer trazer

Tem uma coisa que meu pai, esmeraldino desde os anos 50, diz depois de cada derrota e eu fico indignado:



— Foi bom perder agora, porque é hora de mudar alguma coisa.



Se fosse um clube normal, até poderia ser. Mas o que esperar de um que tem o mesmo dono há mais de meio século, dias depois de ele ser reeleito para mandar mais dois anos?


De qualquer forma, eu tenho de concordar com o meu velho desta vez. Perder para o ABC uma derrota necessária, para a torcida e também para a diretoria. 


Para a torcida, para pegar leve na empolgação. De um time que não valia a grama que pisava no fim do mês passado, depois de três vitórias já tinha gente (até da imprensa, diga-se) carimbando passaporte verde para a Série A.


Para a diretoria, no sentido de parar de prometer nos "assustar com os nomes que vão chegar" (palavras do presidente Sérgio Rassi) e começar de fato a contratar jogadores que vistam a camisa com números de 2 a 11 sem contestação alguma sobre sua titularidade.


Getty Images
Getty Images

Chumacero encara Copete, do Santos, no empate por 1 a 1 em La Paz, pela Libertadores: meia foi o autor do gol boliviano


Esta semana teremos a definição sobre Alejandro Chumacero, um meia de 26 anos que fez sua carreira jogando no boliviano The Strongest e teve passagem pelo Sport (PE) entre 2013 e 2014.


Chumacero até hoje não havia se caracterizado por ser goleador, embora fizesse alguns gols, mas este ano fez cinco gols pela Liga Boliviana e oito pela Libertadores, na qual lidera a artilharia. Também disputou sete jogos pelas Eliminatórias da Copa do Mundo e fez um gol pela seleção.


Não sei os valores que estão sendo acertados, mas as informações que chegam mostram que o Goiás está negociando por meio de um empresário (Éder Zen Lucas) e pagando mais que o Necaxa, do México, e o Vitória (BA) para ter o jogador. 


Ainda que se pague um pouco a mais, é necessário abrir os cofres. O profissional não vai deixar de ter uma vitrine de Série A se não tiver uma recompensa satisfatória — essa é para o "seu" Hailé se lembrar que segunda divisão pode dar prejuízo, sim, porque voltar à elite custa caro.


A contratação de Chumacero e de mais dois ou três jogadores acima do nível dos melhores que temos no elenco hoje (difícil citar alguém além de Marcelo Rangel e Tiago Luís) não garante o acesso à 1ª divisão. Mas, sem tentar isso, o Goiás será só mais um japonês na imensa Tóquio chamada Série B.


LINCOLNEANAS

* * * * * No sábado, além da notícia de que ele poderia vir para o Goiás corria na Bolívia outra informação sobre Chumacero, esta nada positiva: ele é suspeito de ter adquirido um veículo roubado e a Justiça de seu país quer explicações sobre o fato.


* * * * * Em campo, no entanto, parece ser um jogador disciplinado: não recebeu nenhum cartão vermelho nos últimos cinco anos.


* * * * * No Sport, o jogador foi recebido com pompa quando contratado, mas teve poucas chances. Os próprios torcedores admitem que o clube deveria ter tido mais paciência com ele.