3 jogos, 3 vitórias e 10 gols. O que mudou no Goiás?

Foi uma vitória inquestionável


O Goiás foi superior ao Atlético durante todo o jogo deste sábado e mereceu ganhar, até por uma margem superior a um gol. 


É sempre bom guardar a empolgação, até porque a fase é de Campeonato Goiano e o adversário, jogando como está jogando, passaria vexame na Série A.


Rosiron Rodrigues / Goiás EC
Rosiron Rodrigues / Goiás EC

União e harmonia; Léo Gamalho e Patrick comemoram o gol de Tiago Luís em cruzamento de Juan (10)


Ou seja, há muito ainda para que o Esmeraldino chegue a um padrão de jogo aceitável para disputar uma Série B.


Felizmente, as três vitórias em sequência dão tranquilidade para buscar isso. Minha dúvida segue sendo se Gilson Kleina seria o sujeito certo para dar esse padrão. Continuo achando que não.


De qualquer forma, há certas coisas que não podem deixar de se fazer notar e que merecem entrar nessa conta também.


A principal é ver que o grupo do Goiás está fechadíssimo, como se diz no futebol. E isso merece ser levado em consideração: há muito tempo não víamos um elenco jogando com tamanha cooperação e disposição


Temos, no papel, a chance de formar o melhor time desde 2013. Mas é o espírito transmitido pelos jogadores é de trabalho operário, com prazer no que estão fazendo e sem estrelismo, que faz a diferença.


Esse é o mérito que se deve atribuir à figura de Kleina: conseguiu fazer com que esses jogadores, reunidos, se gostassem.


A personalidade destoante nesse cenário de harmonia era Walter e isso fica cada vez mais claro. Ficamos sem o talento dele, e isso é uma pena; ficamos sem uma peça difícil de encaixar, e isso é um alívio.


Algo que me animou nos últimos dois jogos, contra Cuiabá e Atlético, e que é importante ressaltar: os seis gols marcados foram com bola rolando. Isso é sinal de que o time vai se conhecendo melhor, apesar de ainda se mostrar frágil defensivamente, o que é sinal de falta de coesão tática. 


O fato é que, depois de semanas de turbulência, teremos um período de bonança na Serrinha. 


LINCOLNEANAS

* * * * * Juan foi o nome do jogo, com suas duas assistências, e acabou sacado por Kleina quando Everton Sena foi expulso. Na sequência o Atlético fez seu gol e cresceu.


* * * * * Ao fim do jogo, Kleina justificou a substituição, dizendo que a partida não ficaria boa para Juan com um a menos. Não colou. A sorte tem ajudado o treinador, mas é bom não abusar.


* * * * * Quem deveria ter saído era Carlos Eduardo, até por uma questão de lógica (o Goiás vencia por 2 a 0, afinal). O gol do atacante não apaga a necessidade urgente que ele tem de aprimorar fundamentos básicos, como o domínio, o passe e a finalização.


* * * * * Reclamações além da conta contra a arbitragem por parte dos derrotados. Afinal, o Atlético já estava no lucro desde o fim do primeiro tempo, com a não expulsão do goleiro Klever no fim do primeiro tempo, em lance com Léo Gamalho.


* * * * * A partir de hoje, este Blog vai postar vídeos dos jogos realizados pela TV Goiás, o canal do Verdão no YouTube. Veja abaixo nossos gols no clássico.