Um dos times mais estranhos do Flu venceu o Coxa no Couto Pereira

GERALDO BUBNIAK/Gazeta Press
GERALDO BUBNIAK/Gazeta Press

Mas que bela fotografia.


Enquanto escrevo essas palavras eu me dirijo a você, torcedor(a) tricolor que, depois de ver o Fluminense jogar contra o Botafogo igual ao Botafogo, decidiu dar um tempo.


Você parou, olhou, pensou, analisou, se deu conta de que não é o Hércules, e decidiu largar mão dessa puta missão difícil que está sendo esse combo “aguentar a merda que estão fazendo no campo + aguentar a merda que estão fazendo fora dele”.


Dias, depois, Coritiba 1 x 2 Fluminense.


O Fluminense venceu com um gol do Leo Pelé, e terminou o jogo com Frazan e Orejuela na zaga, Renato e Marcos Junior no meio e Scarpa de (e quem disse isso foi o ABEL) “falso nove”.


Tudo bem que era o Coritiba, não o Real Madrid, e que o William Matheus estava em campo, mas uma vitória fora de casa, nessas condições, foi excelente.


Mas nem mesmo nas vitórias o torcedor tricolor tem paz. É impossível comemorar uma vitória como essa, quando, mais uma vez, a diretoria apronta por debaixo dos panos, por detrás das cortinas, agindo covardemente para se desfazer dos nossos ídolos.


Um nome que era certo no jogo e, em cima da hora, sequer foi escalado. Rumores surgindo, uma possível venda?

E aí vem a bomba: mais um ídolo negociado!


Amigos e amigas do Flu da Depressão:


Maranhão se foi.


Essa avaliação é escrita com uma grande carga de pesar, com o coração ainda dolorido por todas as saudosas lembranças de Francinilson, o Eterno.


Proponho uma que façamos uma grande caravana pelas ruas do Centro para levar Maranhão ao aeroporto, principalmente para ter a certeza de que ele vai embarcar.


-----------------------------


Siga o Flu da Depressão no Facebook e no Twitter!


-----------------------------


JULIO CESAR – Tomou um gol vadio, mas no segundo tempo foi GIGANTE ao meter uma defesa à la Gordon Banks em uma cabeçada que era gol muito, mas MUITO certo, principalmente porque quem cabeceou foi o ALECSANDRO, que, quando chutou a barriga da mãe pela primeira vez, fez um gol no Fluminense.


LUCAS – No segundo tempo o narrador falou, “nessas horas é preciso ter jogadores experientes, e nesse time quem tem que chamar essa responsabilidade é o Julio Cesar, o Lucas”, e aí eu pensei, ora ora, estamos fludidos mesmo. Lucas ser referência de experiência e segurança? Em matéria de “tranquilidade e segurança no exercício de sua função”, o Lucas está no nível, sei lá, “Rodrigo Maia”. Esses dias eu vi alguém comentando que a boa fase do Lucas no Carioca coincidiu com a boa fase do Wellington, que fazia a secretaria da lateral-direita. Vamos ver o que será do resto da temporada, já que só tem ele e RENATO


RÊGÍ – Não ficou nem 20 minutos em campo, não há muito o que se falar. Só espero que não tenha sido nada grave, porque o Nogueira também machucou, e pra dar a louca no Abel e meter o Orejuela fixo na zaga não custa nada.


(FRAZAN) – Entrou e entregou uma bola, mas, no restante do jogo, teve uma atuação COMPETENTE, para usar uma palavra que combine com o seu nome digno de chefe de cartório de registro de imóveis. Eu ainda tinha as dolorosas memórias de sua estreia contra o Botafogo na mente, mas o maluco segurou bem.


NOGUEIRA – Imagine só a situação do torcedor tricolor que, com 18 minutos de jogo, vê Régis Naldo saindo lesionado para entrada de Frazan, e tem que depositar toda a sua confiança na coordenação da zaga no TENENTE-CORONEL (está mais para CABO) NOGUEIRA. É como transar sem camisinha: você sabe que a chance de dar merda é gigantesca, mas você CONFIA, você TORCE, você ACREDITA. E dessa vez valeu a pena acreditar, porque ele segurou bem até sair lesionado para a entrada do...


(RENATO???) – Se não for o pior jogador de todos os tempos, por favor, me apresentem o pior, para que eu possa matá-lo e deixar o Renato soberano no posto. Já nem sinto mais tanta raiva do Renato, agora compartilho esse ódio entre O Maldito Que o Contratou e O Maldito que o Coloca em Campo, sendo este último ódio um cadinho neutralizado por motivos de vocês sabem qual. Na primeira bola que recebeu, poderia ter matado o jogo fazendo a jogada que até uma CABRA faria: rolando a bola pro jogador que passava COMPLETAMENTE LIVRE na direita, mas não, o que o animal fez? Resolveu chutar da entrada da área, ATÉ PORQUE ELE FAZ GOL ASSIM SEMPRE


LEO – Abel descobriu a fórmula para fazer o Leo jogar: botando ele jogo sim, jogo não. Se colocar pra jogar dois jogos seguidos, o feitiço se rompe e aí ele não joga nada. O gol em si foi uma bela de uma merda – a bola foi mais desviada do que recurso público -, mas a atuação em si foi boa, dando opções, quase, QUASE, QUAAASE deixando uma PRÉ-SAUDADE para o caso de ele ir pra Itália.


GERALDO BUBNIAK/Gazeta Press
GERALDO BUBNIAK/Gazeta Press

Se você colocar essa foto em preto e branco, ele realmente vira o Pelé


MARLON FREITAS – O maluco quase conseguiu a proeza de fazer três pênaltis no mesmo jogo. O cara parece um touro daltônico que enxerga tudo em vermelho que só tem um movimento: sair correndo desembestado e tentar acertar a bola, mas se não der, tudo bem, um tornozelinho também vale. E tome-lhe falta estúpida, e tome-lhe bola pra área – tranquilão, pô, nossa zaga é fera nisso. SÓ QUE NÃO. Marlon Freitas me faz sentir saudades de Pierre e Luiz Gilmar Fubá Fernando, e isso fala por si só.


OREJUELA– Mas que dia incrível para se estar vivo, OREJUELA VIROU ZAGUEIRO. Logo Orejuela, que já não estava dando uma dentro na cabeça-de-área, virou ZAGUEIRO! Pra essa noite ser perfeita só faltou o Abel falando “HAY DEFENSORES PARA SEIS AÑOS!” Foi mais uma escolha do Abel que a gente não entende, apenas sente, se limita a fechar os olhos e torcer pra não acontecer uma merda que nos leve a uma humilhação pública no dia seguinte. Mas até que essa brincadeira funcionou, e, vejam só, será coincidência o fato de a nossa meiuca ter ficado mais fechadinha depois que o Orejuela foi pra zaga? Meu amigo e sócio do ESPN FC, Fagner Towers, que hoje tirou um merecido descanso do Fluminense, acha que não. E eu estou começando a achar com ele.


WENDEL – Não vem sendo o Wendeus, mas também não dá pra salvar o mundo de segunda a segunda. O próprio Deus deu uma descansada no sétimo dia, então vamos com calma. É óbvio que Wendeus não manteria aquele futebol incrível eternamente, senão não se chamaria Wendel, mas sim Vinicius Junior (RISOS). Mas ainda é o meu ponto de maior confiança nesse time, o cara que, se a bola chegar no pé, eu sinto que está segura. Minha única fagulha de tristeza é que nessas horas, com esse time final de feira, queria que Wendeus chamasse mais a responsa, tomasse o time pra si, mas aí esqueço que é apenas um jovem de 19 anos, não é bem assim que a coisa funciona.


SCARPA – Fizeram uma campanha no Facebook – “levar o Scarpa ao Hemorio”. Porra, achei de um mau gosto tremendo, mas é só a minha opinião, OK? (DOEM SANGUE) Acho que não falta sangue ao menino Gustavinho, estava faltando era futebol mesmo. Hoje, esse futebol deu alguns lampejos – assim como havia sido pelo jogo da Sul-Americana. Ainda não é o que queremos, nem o que precisamos, mas já dá um grau, né. Pra quem tá sem nada, metade é o dobro. Saberemos quando/SE o Scarpa, AQUELE Scarpa voltar, quando voltarem os gols de falta e os escanteios minimamente decentes. Até lá, viveremos com saudades de somebody that we used to know.


RICHARLISON – Se o Richarlison não fosse feio igual a Maquete do Filho de Satanás, eu diria que ele é um GATO, porque a única explicação para ele DAR A VIDA em TODOS os jogos é... tendo mais de uma. É realmente impressionante o sangue que esse cara dá, poderia abastecer o Hemorio por, sei lá, um temparalho (DOE SANGUE). Como se não bastasse, ainda meteu um GOLAZO: deu um DIBRE DE CORPO à la Wendeus ANTES MESMO DE DOMINAR A BOLA – isolou o zagueiro com uma jogada de corpo! Deu o giro do R9 e, de canhota, meteu no ângulo. 


PEDRO – RENÉ DESCARTES uma vez disse: “se o Pedro é jogador de futebol, o Eduardo Ratinho também é; logo, sou astronauta”. Palavra de filósofo. Em matéria de atacantes existem espécies bem definidas. Há o trombador-poste, que geralmente só faz gol de cabeça; há o matador-barato, que só faz gol vagabundo chutando de primeira e pegando sobra; há o velocista, que faz os gols ganhando na corrida; há o driblador, que dibra pra depois fazer; há o craque, que faz gol de tudo que é jeito; e há o Pedro, QUE NÃO FAZ NADA. O mano não faz pivô, não tabela, não dibra, não chuta, quando chuta é quase sempre errado. O cara não consegue nem mesmo calcular a hora certa de pular, e hoje mesmo tomou, pelo menos, uns três dibres da bola quicando no gramado. Sinceramente? O moleque vai acabar se queimando. Façam como o Mascarenhas, mandem para uns jogos na base, ou mandem pro Samorin (KKKKK rindo de nervoso)


(MARCOS JR) – Toda vez que o Abel coloca o Marcos Junior em campo, um panda morre na China. Repassem.


ABEL – O Flu venceu com um gol do Leo Pelé, com a zaga sendo formada por Frazan e Orejuela, com Marlon Freitas, Marcos Junior Renato e Pedro em campo, então é evidente que, no lugar-comum da torcida tricolor, escolha-se enaltecer o Abel. Não caiam nessa. O FLU não jogou nada. No primeiro tempo só deu Coxa e só não entramos numa areia movediça de merda logo no começo do jogo porque o cara isolou o pênalti lá na Eslováquia e nós achamos, sim, ACHAMOS, dois gols. Eu sei, você sabe, todos nós sabemos que sem o Abel estaria pior, MUITO, MAS MUITO PIOR, mas não dá mais pra fechar os olhos pro fato de que perdemos completamente o padrão de jogo do começo do ano (contra-ataques mais mortais que a flatulência pós-feijoada) e que, hoje, não temos padrão nenhum de jogo – além, é claro, da SEGUNDA PIOR DEFESA DO CAMPEONATO BRASILEIRO INTEIRO, que só NÃO levou gol em UM jogo. Não dá pra usar o “mas só tem moleque no time” como escudo eterno. Pensem com carinho nisso e durmam com a benção de Rich.


--------------------


P.S.: Sem P.S. por hoje. ADEUS!