Déjà-vu: Flu amassa o Vasco e vai à final do Carioca

AVALIAÇÃO F.D.P. (FLU DA DEPRESSÃO)
FLUMINENSE TRÊS, VASCO ZERO


Wagner Assis/Agência Eleven/Gazeta Press
Wagner Assis/Agência Eleven/Gazeta Press

MÁQUINA



Amigos e amigas do Flu da Depressão,


Com 2 minutos de jogo já sabíamos o que cada time tinha trazido para campo.


Com 1 minuto o Luis Fabiano deu uma cotovelada no Zagueiro Henrique.


Com 1m30s o Wellington já tinha dibrado dois.


Mesmo com a ~vantagem do empate~, o Fluminense mandou no jogo, e tirando 3 bolas vadias (2 defendidas incrivelmente pelo Cavalieri), o Vasco não viu a cor da redonda.


Parecia jogo-treino.


A molecada do Flu colocou a vovozada do Vasco na roda. Foi papo de dar pena.


Ganhar do Vasco por menos de 3-0 eu nem comemoro mais.


Muito chato esse negócio de ter o melhor ataque do Brasil.


Com os três de ontem, o Flu chegou a 54 gols no ano – 2,34 gols por jogo.


18 jogadores diferentes marcaram pro Flu, e o que mais marcou fez “apenas” 10 ceifagols.


E digo mais:


O, teoricamente, melhor jogador do time, nem jogando está.


Você pode me chamar de clubista, mas quando o seu time for enfrentar o meu...


...não diga que eu não te avisei.


NOOOOOOOOOOOOOOOTAS!

ANTES DAS NOTAS, AQUELE MERCHAN:


>>> SIGA O FLU DA DEPRESSÃO NO FACEBOOK E NO TWITTER <<<


>>> LEIA O BLOG LARANJEIRAS <<<

DIEGO CAVALIERI – Nota: LÁGRIMAS
DE GELO, é claro, por, enfim, uma exibição digna daquele que já foi enaltecido como O Melhor Goleiro do Brasil (há longínquos cinco anos...). Alguma coisa aconteceu nos circuitos internos de Cavalideus que o arquivo “saída-do-gol.zip” foi executado e o ICEMAN saiu de debaixo das traves não uma, meus amigos,mas DUAS VEZES, repito, DUAS VEZES!!! para abafar duas bolas do Vasco que poderiam ter encontrado o fundo das redes. A torcida tricolor já está ENJOADA de ter o melhor ataque do Brasil; agora, temos o líder de assistências (PAPÁ SORNOZA); também temos o futuro OITO E FAIXA da Seleção (Wendel); se tivermos, de novo, o ICEMAN, aí é melhor fechar o campeonato.


LUCAS – Nota: 3.455
M de MARIANO ou M de MEU-DEUS-DO-CÉU-O-CHAPÉU-NO-RODRIGO? Mermão, o Rodrigo passou igual um trem desgovernado e os boatos dão conta de que foi parar lá em São Cristóvão e nem viu o gol do Wellington. Está até agora por lá procurando o caminho do Metrô. Tadinho. Rodrigo é a cara desse time do Vasco: um maluco horroroso que se acha o pica das galáxias. Pelo menos voltou pra casa quentinho e com três gols nas costas. Quanto ao Lucas: ele é lateral ou ele é ponta? Ele é tipo um William Matheus ao contrário. Vocês lembram desse entojo chamado William Matheus? (Como esquecer, né?) O William Matheus conseguia a proeza de nunca ir ao ataque e sempre levar bola nas costas; o Lucas está sempre no ataque, mas raramente leva uma nas costas. Realmente incrível o Barriguinha, uma das melhores surpresas de 2017. Leva +50 pelo chapéu no Rodrigo, +50 pela assistência perfeita e mais +5 pra cada vez que foi à linha de fundo, totalizando, assim, +3.455.


ZAGUEIRO HENRIQUE – Nota: 26
Porque Z é a vigésima sexta letra do alfabeto – Z, DE ZAGUEIRO. Depois de se estabilizar como o puta zagueirão da porra que é, envergando essa braçadeira que já foi envergada por Don Frederico, oGum, Fernando Bob e Ruy Cabeção, Zagueiro Henrique agora também brinca de Dar Lançamentos de 45 Metros para os Pontas, provando que a sacanagem que o Fluminense se tornou não tem limites. No mais, não teve muito trabalho pra marcar o Luis Fabiano, que devia estar no Showbol, ou no MMA, e, posteriormente, o Bolotales.


RENATO DENTE DE OURO CHAVES – Nota: 33
Você pode ter todas as restrições do mundo com o Renato Chaves, mas é muito difícil não respeitar um homem que tem DENTES DE OURO. A arcada dentária do Renato Chaves vale mais do que o time do Vasco, e certamente daria mais trabalho dentro de campo, já que, pelo menos, o reflexo do ouro atrapalharia alguém, ao contrário do Rafael Marques, por exemplo, que não deu um bote certo no Wellington. Todo Gum tem seu Leandro Euzébio, e o Renato Chaves é o Beckenzébio do Zagueiro Henrique: ele é o cara que vai encarnar o Ricardo Gomes e não deixará nada passar, mas no mesmo corpo que baixa o Ricardo Gomes baixa o Luiz Alberto, e aí ele começa a ficar preso no chão, não consegue correr parecendo que está com caganeira e ainda paçoca na saída de bola. Ontem, felizmente, o Golden Teeth baixou o santo do bem, mas, cá entre nós, poderíamos ter ido com Nogueira e Frazan que esse time do Vasco é uma puta SAUSAGE WATER (água de salsicha) do carai. Eu ia dar NOTA 13 (metade de um 26), mas ele ganha +10 por cada dente de ouro, saindo, então, com um 33.


LEONARDO ARANTES DO NASCIMENTO – Nota: 6
6, de LATERAL-ESQUERDO. Leo é o cara que mais jogou pelo Flu no ano, e parece já estar entrando no irremediável estágio da Burocracia da Lateral. Quando ele para na quina da grande área, eu consigo até imaginar o diálogo mental: “Se eu for até o fundo eu provavelmente vou perder a bola, e se eu chegar, não vou conseguir cruzar mesmo... então vou deixar essa bola aqui com o Sornoza, correr pra ponta e esperar ficar livre... Se bem que, com o país nessa condição, eu acertar um cruzamento é o menor dos meus problemas... E daí se eu acertar 3 cruzamentos seguidos, isso vai diminuir o desemprego? A corrupção? Os problemas sociais? Ih, olha o Wendel passando, vou dar a bola nele que ele vai resolver. Caramba, e essa inflação...”. Não foi à toa que eu lancei a campanha “BOTA O CALAZÃOS NO INTERVALO ABEL” lá no Twitter. A verdade, porém, é que o Leo não está sendo acometido pela Burocracia da Lateral, mas, talvez, pela Iluminação da Lateral, um fenômeno experimentado por poucos laterais – e, geralmente, somente após os 26 anos: a consciência de que [1] ir e voltar até a linha de fundo CANSA; [2] se você CANSA, o outro lateral te janta; [3] do outro lado do campo tem o outro lateral do seu time, que também gosta de ir lá na frente. Então, o Leozão da Massa segurou as pontas lá e deixou o Lucas voar. Calazãos é mais jogador? Calazãos é mais jogador. Mas o Calazãos é meia, porra! Deixem o cavalo do Pelezinho andar.


OREJUELA – Nota: OREJUWENDEL
Orejuela e Wendel juntos é sacanagem. Se fosse na minha pelada de terça, mandariam tirar o time de novo. Orejuela e Wendel juntos me lembram aqueles gêmeos de dreads brancos do Matrix, que atravessam paredes, desviam de balas, lançam espadas na sua direção, voam, e o caralho a quatro. Orejuela e Wendel juntos é covardia. Qual time no Brasil tem uma dupla de volantes como essa? Os dois sabem marcar de perto, sabem marcar de longe, manjam dos paranauês de cobrir os amiguinhos. E a saída de jogo? E A SAÍDA DE JOGO, MEUSA MIGOS? Se pintarem o gramado de rosa, o Orejuela só vai ficar sabendo no dia seguinte, porque ele parece ter algum tipo de torcicolo venenoso que o impede de abaixar a cabeça. Está sempre de cabeça em pé, observando tudo e todos, dominando o jogo silenciosamente, facilitando a vida de todos. Que baita jogador.


WENDEL – Nota: WENDELJUELA
Sabe quando você conhece uma pessoa que te completa? E você sente uma coisa estranha, inexplicável, uma felicidade crescendo dentro de você? Não estou falando de gravidez, nem de feijoada. Estou falando de alegria, paz. Sabe? É o que eu sinto quando vejo o Wendel em campo. Wendel me transmite uma serenidade, uma alegria de viver, uma felicidade de torcer pelo time certo, uma coisa inexplicável. De onde surgiu esse cara, bicho? Parece que joga bola profissionalmente há 46 anos. Wendel só tem um modo de jogo: COM CALMA. Você fica semi-desesperado com um contra-ataque sendo armado e ele brota, SABE-SE LÁ DE ONDE, dá o bote, rouba a bola, sai jogando. A bola pro Lucas no lance do gol do Wellington não é coisa de quem saiu da base ontem, é coisa de quem já jogou final de Copa do Mundo e os caralho.


(LUCAS FERNANDES) – Nota: VASCO
Porque eu nem vi em campo.


SORNOZA – Nota: 20
Chega na gata e fala: “Gata, prevejo um futuro tão lindo para nós dois que ele parece uma jogada do Sornoza”. Sucesso certo. Recebi hoje a informação de que Papa Sornoza é o líder de assistências no ano. A grande sacada é que a assistência só é contabilizada como o passe final direto pro gol, e o impacto do Sornoza é maior do que isso. Ele é um dos grandes facilitadores de jogo do Brasil e tem uma capacidade incrível de resolver jogadas aparentemente complicadas com um passezinho curto, de primeira, que deixa o Wendel livre pra disparar pelo meio ou dá o start na Câmara de Tortura, que é quando o Wellington fica sozinho com o zagueiro adversário – coitado do zagueiro adversário. Isso sem falar nas bolas paradas, no sorriso encantador, no jeitinho maroto de correr. Impossível não se apaixonar.


WELLINGTON – Nota: ERROR
ELE NÃO É SÓ MAIS UM SILVA. É o MR. CLÁSSICO. Faça um círculo no chão, coloque algumas bolinhas de gude e diga, “É CLÁSSICO!” - Wellington vai dibrar todo mundo e sair com todas as bolinhas. Coloque o Wellington numa sala com o Trump e o manda-chuva lá da Coreia do Norte e diga, “IT'S A DERBY!” - Wellington vai dibrar todo mundo e sair com a paz mundial. Amigo, ONTEM O WELLINGTON DIBROU ATÉ O JUIZ, segundos antes de, MAIS UMA VEZ, receber uma BICUDA de um adversário – pelo simples fato de DIBRÁ-LO INCESSANTEMENTE. É a segunda vez, em menos de uma semana, que um adversário PERDE A COMPOSTURA e parte pra agressão pelo simples fato de NÃO CONSEGUIR MARCAR O WELLINGTON. Vou lançar a camisa: YOU HAVE BEEN WELLINGTONIZED, MOTHERFUCKER. Se você é zagueiro e está encarando o Wellington, você está vivendo o WELLINGTON DE SCHRÖDINGER, porque você FOI E NÃO FOI DRIBLADO AO MESMO TEMPO, mas a grande verdade é: se você não foi, VOCÊ AINDA SERÁ. Hoje, no Brasil, existem duas verdades universais e unânimes: 1 – políticos recebem propina; 2 – zagueiros são driblados pelo Wellington. NÃO BASTASSE DIBRAR TUDO E TODOS A TODO O TEMPO, o Wellington, esse grande e serelepe Wellington, AINDA ME FEZ UM GOL DE LETRA, ENFIANDO A BOLA GRACIOSAMENTE POR SOB AS PERNAS DE MARTIN SILVA (único responsável pelo jogo não ter sido 16 a 0). Incrível. Simplesmente incrível. Hoje existem duas coisas sem as quais eu não sei viver: oxigênio e Wellington. Fica pra sempre, Ó, Grande Dibrador.


Rudy Trindade/FramePhoto/Gazeta Press
Rudy Trindade/FramePhoto/Gazeta Press

VOANDO.


(MARCOS JUNIOR) – Nota: 5
Aquele futebolzinho modorrento tipicamente Marcosjuniano, só que sem gol de título (até porque não era final).


RICHARLISON – Nota: 9
Eu tenho amigos que curtem animes (desenhos animados japoneses) e eles me contaram de um chamado DEATH NOTE. A história é mais ou menos a seguinte: você escreve o nome de alguém nesse DEATH NOTE e a pessoa morre. Richarlison é a estrela do GOAL NOTE: se você escreve o nome “RICHARLISON”, em qualquer lugar, um gol é marcado em algum lugar do mundo. Você sabe que o Richarlison está chegando em algum lugar pelo FEDOR que bate, aquele cheiro grudento e pegajoso de GOLS. Ontem, eu cometi a atrocidade de tuitar que o Richarlison não estava jogando nada. DITO E FEITO: bastou escrever o nome RICHARLISON para, instantes depois, essa GOAL MACHINE guardar mais um. Uma cabeçada feroz e o reflexo apuradíssimo pra pegar o rebote com a perna fraca. Richarlison já fez gol em TODOS OS RIVAIS do Rio. A próxima meta é fazer gol em TODOS OS RIVAIS DO BRASIL. Richarlison artilheiro do Brasileirão: você viu aqui primeiro.


Rudy Trindade/FramePhoto/Gazeta Press
Rudy Trindade/FramePhoto/Gazeta Press

A serenidade no olhar de quem NÃO PARA DE FAZER GOLS


PEDRO – Nota: 6
Do onze inicial que foi a campo, foi o que menos me agradou. Tudo bem que teve apenas uma chance concreta (e meteu uma PAULADA de direita que o Martin Silva pegou bem), mas parecia que o queixo estava pesando. Pedro é um brigador, mas às vezes briga com a bola. Tudo bem, não tem problema, ainda é um jovem mancebo com muito a aprender com Henrique CEIFAGOLS. Acho que o Pedro tem noção de bola, e não poderia haver lugar e momento melhor para ele desenvolver seu futebol do que na Creche do Papai Abelão.


(MARQUINHO) – Nota: Marquinho
Ou o Abel quis equilibrar o jogo, já que o Vasco estava com um a menos, ou ele colocou o Marquinho só pela piada mesmo, pra segunda-feira eu chegar no trabalho e zoar o vascaíno: “Mermão, tava tão fácil que o Abel botou o Marquinho e mesmo assim vocês não arrumaram nada”.


ABELÃO – Nota: 10000000000000[...]00000000000[...]0000000000[...]0000000000[...]
Eu já gastei todo o meu português pra falar de Abel Carlos Braga. Já fiz um curso de Novas Técnicas de Português pra falar dele, e já gastei isso tudo também. Também já exauri o inglês. Agora estou tentando aprender francês. ABEL, TU ES L'HOMME DE MA VIE, ABEL. Quem diria que caberia ao ~ANTIQUADO~ e ~ULTRAPASSADO~ Abelão criar o melhor futebol do Brasil em 2017. Três atacantes, volantes leves, habilidosos, time que sabe manter a posse de bola e achar o espaço, time que sai num contra-ataque com cinco, seis, sete – e se for contra o seu time, é melhor você olhar pro outro lado que dói menos. Quem diria que o Abel pegaria essa sopa de pedras e transformaria em um delicioso caldo de futebol, envolvência, gols e amor. Hoje o Fluminense é um time envolvente com jogadores envolventes – é difícil não se apegar aos dibres de Wellington, aos gols de Richarlison, aos passes do Sornoza ou à M A G N I F I C Ê N C I A de Wendel. Porém, mesmo com todos esses fatores, o meu elemento preferido continua sendo, e sempre será, Abel. Eu queria comprar um pedaço de terra em algum oceano distante e me proclamar Rei, apenas pelo prazer de condecorá-lo como SIR ABELÃO.


Nelson Perez / Fluminense FC
Nelson Perez / Fluminense FC

TODO POST UMA FOTO DIFERENTE DO ABELÃO


-------


P.S.: Wendel recebe a bola no meio, cai pra direita. Lucas dispara furiosamente pelo centro. Wendel descola um passe que flutua por cima do marcador, que tenta, mas não consegue impedir a chegada da bola ao Lucas, que já chegou na área. Rodrigo vem feito um cavalo, como de costume, e Lucas dá um toque pra cima, Rodrigo vai embora. Lucas domina graciosamente, invade a área e rola pra dentro. Wellington aparece sabe-se lá de onde e dá um toque de letra, sim, de letra, por debaixo das pernas de Martin Silva.


QUE DELÍCIA TORCER PRA ESSE TIME