Sorria pra chuchu: o campeão é o Flu!

Fernando Soutello/Agif/Gazeta Press
Fernando Soutello/Agif/Gazeta Press

Antes de ler, apenas contemple.


CINCO DE MARÇO DO ANO DA GRAÇA DE DOIS MIL E DEZESSETE


O Fluminense ganhou o Flu-Fla muito antes do início do jogo. O Fluminense ganhou o Flu-Fla quando o presidente do Flamengo fez birra pro jogo não acontecer no Maracanã. O Flu deu o outro lado da cara pro filho malcriado e pela ciranda dos fatos o Flu foi pro tribunal, ao famigerado tribunal, apoiar e defender o direito do torcedor do Flamengo de estar presente em um dos maiores jogos de futebol dos últimos anos, que teria sido lendário se, ao invés do Engenhão, tivesse ocorrido onde sempre deveria: no Maracanã.


Seria muito bom se a torcida rubro-negra tivesse retribuído a (árdua) gentileza e comparecido de fato ao jogo, fazendo nem que fosse um pouquinho de barulho fora do trem. Os rubro-negros estavam tão desanimados que quando o Guerrero fez aquele puta golaço pra empatar a porra aos 40 do segundo tempo, foi comemorar com a torcida do Flu.


Mas essas coisas acontecem.


O que não acontece é um jogo igual ao de ontem. Por toda minha vida me considerarei privilegiado por ter visto acontecer bem na minha frente.


Daqui a 60 anos chorarei de saudades lembrando do glorioso Henrique Ceifador e do lendário lateral-direito Lucas, e de como o Marcos Junior bateu o pênalti do título, e de como ele bateu igualzinho na final da Copa de 2022.


AVALIAÇÃO F.D.P. (FLU DA DEPRESSÃO – THE ONE AND ONLY)
FLUMINENSE 3 (4) x (2) 3 FLAMENGO


JÚLIO CÉSAR : Tinha tudo pra sair de campo como Júlio Chester e me deixou os 90 minutos com o reto na mão, pois cada bola na área e cada recuo eu achava que ele faria alguma cagada. Mas, com a benção de Ricardo Berna, Murilo e Wellerson, redimiu-se defendendo um pênalti. Melhor assim. E obrigado.


LUCAS : Se essa fantasia chamada COMEÇO DE TEMPORADA DO LUCAS for eterna, a vida da torcida tricolor será um eterno Carnaval. O começo de temporada do menino barriguinha me faz lembrar dele, sim, DELE, o único lateral-direito possível, MARIMITO CARA DE TRAKINAS, que também chegou ao Flu após passagens conturbadas por clubes de menor expressão e depois veio a se tornar O Maior Lateral-Direito De Todos Os Tempos. Lucas é limitadíssimo, mas tem a disposição de um bloco de carnaval, e a cara dos torcedores adversários quando pronunciam “porra, a gente tomou um gol do LUCAS?!” é impagável.


ZAGUEIRO HENRIQUE : Estranho é o Ceifador ser o Henrique Dourado quando temos este puta Henricão da porra e seus cabelos dourados envergando a braçadeira de capitão, braçadeira esta que, em um Fla-Flu, já foi envergada por ninguém menos que... FERNANDO BOB. A fórmula do Henrique é quase perfeita: é o zagueiro que sabe dar a famosa BICUDA, mas também é o zagueiro que, aos 35 do segundo tempo de um Fla-Flu como o de ontem, consegue dar um dibre curto e seco no Guerrero e sair jogando como se nada tivesse acontecido. É o zagueiro que consegue dar um passe de 35 metros, mas que também sabe fingir que vai dar um passe de 35 metros e, na verdade, dar um chutão (quase sempre). Incrível o que uma simples troca de lado na zaga pode fazer com um homem.


RENATO CHAVES : Vou fingir que não vi você pregado no chão no gol da virada dos caras porque estou de bom humor. A cada dia que passa o Renato Chaves me lembra mais o Leandro Euzébio. Apesar de seu dente de ouro, ele nunca será tão belo quanto O Zagueiro Mais Belo do Brasil, mas o futebol fica cada dia mais semelhante. Ele é falso rápido, seus quadris tem maleabilidade duvidosa (pra não dizer “MEIO TRAVADO”) e, vira e mexe, fica pregado no chão quando devia estar pairando no ar e testando uma bola. Mas em diversos momentos encarna algum tipo de entidade, e o cara vira uma bateria anti-aérea, sai desarmando tudo que vê pela frente e se der mole ainda tenta armar o jogo. Eu penso que aquele dente de ouro devia ser investigado.


LEO PELÉ : Achei o MENOS BOM do Flu, porque não houve um pior, todos jogaram muita bola. Não estava no mesmo pique do time e no primeiro tempo perdeu uma bola pro Diego por pura soneca, emulando o saudoso CARLINHOS. No segundo, passou um perrenguezinho com o Berrío. Mas a caneta no Willian Arão... que isso, amigo. Me disseram que viram o Arão dez da noite lá em Engenho de Dentro, tropeçando, balbuciando e procurando desesperadamente por “um moleque parrudinho que é a cara do Pelé”. Que maldade.


PIERRE : Quem viu, viu. No meio da molecada o Pierre foi o tiozão, amaciando o jogo, dando a famosa bolinha pro lado e aquela segurança que só um legítimo CINCÃO PORRADOR pode proporcionar. Eu ainda prefiro o Douglas, um milhão de vezes, mas o Pierre jogou à vera. Até passes estava acertando, e para frente! Realmente,o 05 de março de 2017 foi um dia mágico.


OREJUELA : Permitir que menores de 18 anos entrem num estádio quando Orejuela está em campo é algo gravíssimo. O futebol desse sarrante e malemolente equatoriano é uma pornografia. No estádio, eu fiquei cansado só de tentar acompanhar com os olhos. Ele faz tudo com uma simplicidade tão grande que até parece que está entediado. Um desavisado pode até achar que o cara está de corpo mole até ele dar um pique igual uma pantera negra, dar a volta no Diego, tomar a bola e sair armando. Vejo o Orejuela e penso logo em uma mistura de Mascherano, Thiago Alcântara e Diguinho. Que homem.


SORNOZA : Colocaram o Sornoza pra jogar com a 20 e eu acho isso uma puta sacanagem, porque eu não enxergo bem de longe e fico achando que é o Deco. Eu consigo diferenciar porque o Sornoza tem aproximadamente 726 vezes mais vontade (não que faltasse vontade no saudoso Mago). Mas, bicho, Sornoza dando uma voadora na entrada da NOSSA área pra tirar uma bola. O cara fica igual uma formiguinha de um lado pro outro, pra frente e pra trás, e cada toque na bola é certeiro, preciso, exceto, claro, quando ele não acerta o passe, mas aí certamente isso faz parte da jogada que ele pensou. Muita visão de jogo, uma coisa absurda. Nem quem estava nas arquibancadas superiores viu o jogo tão bem quanto ele.


WELLINGTON : Não tenho palavras. Digamos que se em vez de palavras eu fosse contratar alguém para fazer umas imagens para descrever o que o Wellington fez com o Flamengo no dia 05/03/2017, eu teria que contratar, sei lá, o Leonardo Da Vinci.


Nelson Perez / Fluminense FC
Nelson Perez / Fluminense FC

E aí ele pintaria algo parecido com isso


RICHARLISON : ENDIABRADÍSSIMO. De 2016 pra 2017 o Reuscharlison aumentou absurdamente de level. Aqueles gringos que falaram que ele parece o Romário certamente não o viram jogar esse ano. Richarlison tem a mesma disposição que o Rafael Vaz tem de entregar pro Flu. Talvez até demais, porque ainda faz muitas faltas. Mas o moleque já está voando, e jogando ao lado de um grande centroavante como Henrique Dourado certamente evoluirá ainda mais. Forte, rápido, incisivo, quase como aquela pontada no lado inferior direito do abdômem depois da feijoada, tá ficando chato de segurar o Richarlison e, inclusive, arrisco-me a dizer que a entrada dele nesse Fla-Flu foi providencial pra segurar as laterais do Fla.


HENRIQUE DOURADO : O zagueiro tá bolado. Com o tempo Henrique Ceifagols está liberando o futebol que existe dentro daquelas canelas. A grande verdade é que se o Ceifagols não fosse bom, seria Henrique Prateado ou Henrique Bronzeado, porra. MAS O CARA É O DOURADO. Quem viu, viu: Ceifagols não perdeu uma única bola alta no segundo tempo. A tabela dele com o Sornoza, que ele quase matou em gol depois do cruzamento do Richarlison, tinha tudo pra ser um dos gols mais bonitos da história do Engenhão, ou Nilton Santos, ou, como eu prefiro, Salão de Festas - nunca vi um estádio alvinegro tão cheio de cores. Eu estou surfando a onda do Ceifagols e estou me amarrando. Vi umas crianças comemorando igual a ele e me amarrei. Embarque nessa onda você também!


Gazeta Press
Gazeta Press

Que atacantes, que camisa, que comemoração, que touquinha!!!


ABEL FUCKING BRAGA : Se um dia eu tiver a oportunidade de dar um abraço em Abel Carlos Braga, eu acho que nunca mais o soltarei. Ver o Abel na beira do gramado, suando em bicas e berrando puto da vida é o ponto mais alto que um torcedor pode atingir no que diz respeito a “se sentir representado”. Abelão é o cara, não há o que possa ser dito. O cara.


(MARCOS JUNIOR) : O cara foi ABENÇOADO pelo Deco com a alcunha de “Resolve”, e agora resolveu só fazer gol em finais. Não sei se vocês se lembram, mas salvo engano o primeiro gol do Marcos Junior como profissional foi no primeiro jogo da final do Carioca de 2012 – não sei se vocês lembram, mas foi o jogo em que o Fred meteu um gol de bicicleta no Botafogo –, e daí já veio o da final da Primeira Liga e, agora, o pênalti decisivo. Bem ou mal, mesmo novinho e ainda piroca das ideias, ele já escreveu o nome na história do clube. Que doideira.


(MARQUINHO) : Marquinho entrou e eu ouvi gente ameaçando deixar o estádio (juro) (ok, era eu), mas pelo menos não deu nenhuma paçocada – arriscaria-me a dizer até que entrou bem e em um momento propício. E fez o pênalti, o que no final das contas foi o que importou.


(CALAZANS) : O que foi o dibre de corpo do Calazans no Pará? O cara foi parar lá em Belém bicho


_________________________



P.S.1: O cara que teve a ideia de meter o AME O RIO na camisa é um gênio.


P.S.2: Sair do jogo e ainda descobrir que o Scarpa renovou foi demais. Tragam alguns reservas minimamente competentes e o bagulho vai ficar doido!!!


Gazeta Press
Gazeta Press

Corre atrás