Faltam 33 pontos para o Figueirense não cair pra Série C

No começo da Série B, fiz um post acerca da probabilidade do Figueirense voltar à Série A em 2018. Naquela oportunidade, o alvinegro iniciava a competição com vitória fora de casa e me provocava a escrever sobre as 19 vitórias que restavam para o acesso.


Quase dois meses depois, volto a este espaço para fazer as contas contra o rebaixamento à Série C. No intervalo entre a 2ª e a 12ª rodada, o Figueirense somou mais duas vitórias, três empates e acumulou seis derrotas. A mais recente, no sábado, diante do Ceará em pleno Orlando Scarpelli.


Depois de 10 dias de descanso e treinos, o time não evoluiu e pior, fulminou o goleiro Thiago Rodrigues. Com mais uma lambança, fruto de falta de confiança pelo excesso de goleiros sem histórico chegando como titulares, o arqueiro entregou a rapadura quando o jogo já estava 1 a 0 para o Ceará.


Botar a culpa nele seria sacanagem, pois como eu disse naquela altura o Figueirense já perdia. Criticar o treinador por ter escalado três volantes, sendo um - Helder - na vaga de Marco Antônio (meia-armador) e sem jogar há três meses também seria injusto. Também não quero botar a culpa no presidente, na diretoria, torcida, enfim.


As convicções, caro amigo leitor, é que estão erradas. O Figueirense está no terceiro técnico em 2017, mudou todo o elenco do estadual pra cá, afastou jogadores e atendeu o pedido de lideranças do grupo para voltarem ao time titular. Nada tem adiantado.


Agora são duas partidas fora de casa (terça contra o CRB e sexta contra o Brasil de Pelotas). As perspectivas são péssimas e o que nos resta agora é fazer contas para chegar logo aos 45 pontos e fugir da Série C.