Penúltimo na Série B, Figueirense caminha para o fundo do poço

Gazeta Press
Gazeta Press


A derrota para o Luverdense por 3 x 2, nesta terça-feira, foi a terceira em cinco jogos em casa nesta Série B. Se antes a culpa era da chuva, do goleiro que fugiu de táxi, do ex-treinador Márcio Goiano, do afastamento do ex-capitão Marquinhos, hoje ela recaiu sobre a falta de equilíbrio entre defesa e ataque.


Pior do que a derrota é a classificação do Figueirense: 19º colocado, com 8 pontos.


Cheguei a escrever aqui que o acesso era questão de tempo, mas agora começo a temer pelo rebaixamento à terceira divisão do Campeonato Brasileiro.


O Figueirense já trocou de treinador, mexeu na estrutura tática, reintegrou o zagueiro afastado e os resultados não vêm. E pior, perdeu para o Paraná na sexta-feira sem levar perigo ao gol adversário e hoje novamente foi derrotado sem dar um único chute à meta no 2º tempo.


No final da partida, os menos de 3 mil presentes no Scarpelli xingaram a diretoria e principalmente o presidente Wilfredo Brillinger. Ele, que se vangloria de ter títulos estaduais e participações na Série A, vai terminar seu mandato na Série C.


É triste o presente do Figueirense, mas o futuro pode ser ainda pior, já que o poço é fundo e tem mais água para subir.