As joias que o Figueirense precisa vender em 2017

A proposta orçamentária apresentada pela diretoria do Figueirense, na terça-feira, prevê R$ 29 milhões de receita em 2017. Para isso, o clube incluiu R$ 4,5 milhões em vendas de jogadores. As despesas estão estimadas em R$ 27 milhões. Se não negociar ninguém, fecha o ano com déficit de R$ 2,5 milhões.


O orçamento ainda não foi aprovado por incongruências e parecer contrário do Conselho Fiscal. Nos próximos dias deve voltar a discussão para nova análise dos conselheiros.


O torcedor, ao saber da necessidade de vender e analisando o elenco atual do clube, ficou encafifado sobre quem seriam tais jogadores. A qualidade do time principal é baixa, mas há nomes interessantes. 


Dudu (lateral-direito) - oriundo da base, tem 19 anos e é daqueles laterais incisivos, principalmente no ataque;


Bruno Alves (zagueiro) - com 26 anos, tomou a conta da posição em 2016 e já teve propostas de Grêmio e Botafogo. Também é da base e um cheque em branco;


Mateus (meia) - o popular "Mateuzinho" é um meia veloz que se destacou na Copa SP do ano passado. Até o momento, não conseguiu aproveitar as chances entre os profissionais;


João Pedro (meia) - habilidoso e atrevido. Canhoto, é atual camisa 10 do time.


Todos acima são oriundos da base e bons valores. Nessa lista há uma realidade e três promessas. Porém, a maior joia do Figueirense ainda está nos juniores: o meia Luiz Fernando.


Figueirense FC
Figueirense FC

Luiz Fernando é apontado como promessa, mas ainda não atuou entre os profissionais


Com 17 anos, foi apontado em 2016 pelo jornal The Guardian como um dos 60 jovens talentos do futebol mundial. Do Brasil eram apenas três – Fabrício Oya, do Corinthians, e Nicolas, do Santos, além de Luiz Fernando. 


Por ser jovem e nunca ter vestido a camisa dos profissionais, o meia pode deixar o clube sem alarde. Essas negociações são as mais fáceis de concluir. Ninguém nota, ninguém reclama. Prova disso, são os centenas de jovens jogadores brasileiros destaques na Europa que só ouvimos falar quando viraram realidade lá fora (Hulk, Ederson, David Luiz).


Luiz Fernando é o verdadeiro cheque em branco, aquele que pode suprir o déficit de 2017 nas contas do Figueirense. Resta saber se a grana virá mesmo para os cofres do clube, pois quem tem a menor porcentagem nos atletas da base é o alvinegro. (veja lista abaixo)


 


Transparência Alvinegra
Transparência Alvinegra


Transparência Alvinegra
Transparência Alvinegra


Transparência Alvinegra
Transparência Alvinegra