E quando jogar com o Cruzeiro, procure primeiro saber quem eu sou

Aperte o play, torcedor celeste...



Quem foi que falou que eu não sou um moleque atrevido? Ganhei minha fama de bamba nos campos do mundo.


Fique feliz em saber o que faço no futebol, faça o favor? Respeite quem pode chegar onde a gente chegou.


Também somos linha de frente de toda essa história. Nós somos do tempo de Dirceu. Sem grana, mas com muita glória.


Não se discute tamanho, mas seu argumento, me faça o favor: Respeite quem pode chegar, onde a gente chegou.


E a gente chegou muito bem, sem desmerecer ninguém (ouviram?). Enfrentando no peito um certo preconceito e muito desdém.


Agora é muito fácil dizer, que esse futebol é nossa raiz. Tá chovendo de gente que fala que confiava e não sabe o que diz.


Por isso vê lá onde pisa, respeite a camisa que a gente suou. Respeite quem pode chegar onde a gente chegou.


E quando jogar com o Cruzeiro, procure primeiro saber quem eu sou. Respeite quem pode chegar onde a gente chegou.


Quem foi que falou que eu não sou um moleque atrevido? Respeite quem pode chegar onde a gente chegou.


Obrigado ao monstro Jorge Aragão pela música. Entretanto, agora seremos rivais. A gente se vê no Rio!


E respeite quem pode chegar onde o nosso time chegou.


Pedro Vale/Agência Eleven/Gazeta Press
Pedro Vale/Agência Eleven/Gazeta Press

A torcida carregou um time de guerreiros. E não vamos parar por aí