5 viradas para inspirar o Cruzeiro contra o Grêmio

É óbvio que acreditamos, a necessidade de reafirmar a confiança é desnecessária. Foram inúmeras as vezes em que o Cruzeiro jogou pelo improvável e conseguiu. Logo, reúno a seguir 5 viradas do time celeste quando saiu do jogo de ida perdendo sem marcar gols. Confira:


1 – Cruzeiro 4 x 2 Corinthians – 2016 – Copa do Brasil

O mais recente e um dos mais emocionantes! O Cruzeiro perdeu na Arena Itaquera por 2x1 e, quando tudo parecia tranquilo para o Corinthians, Arrascaeta provocou noite de loucura, descontrole e caos! 



2 – Cruzeiro 1 x 0 São Paulo – 2015 – Libertadores

Devolvendo o placar do jogo de ida e provocando um sofrimento arrasador, o Cruzeiro levou a partida contra o São Paulo para os pênaltis. Muita emoção, Fábio inspiradíssimo e Gabriel Xavier decidindo. Que amanhã a emoção não seja tão grande, não sei se o meu coração aguentaria.



3 – Cruzeiro 2 x 0 Náutico – 1993 – Copa do Brasil

Na campanha do 1º título de Copa do Brasil do Cruzeiro, aquela contra o próprio Grêmio na final, tivemos um jogo de volta bem apertado contra o Náutico após sair perdendo por 1x0. Repetir este resultado quarta não seria nada mal, né?



4 – Cruzeiro 3 x 0 River Plate – 1991 – Supercopa Libertadores

Uma das páginas mais heroicas e imortais da história do Cruzeiro. Após sair perdendo no jogo de ida por DOIS a zero, reverteu de forma magistral no Mineirão, em uma noite mais do que feliz. 3x0 e os argentinos voltaram pra casa chorando.



5 – Cruzeiro 1 x 0 São Paulo – 1995 - Copa Ouro

Talvez a rivalidade mais interessante do futebol brasileiro. Um é freguês nos pontos corridos, o outro, no mata-mata. Em 1995 Cruzeiro e São Paulo disputaram a confusa Copa Ouro, que contou com a desistência de 2 argentinos e terminou valendo também pela Supercopa Libertadores do ano, vencida pelo Independiente. Após perder novamente por 1x0 na ida, o Cruzeiro devolveu na volta e venceu nos pênaltis. 10 anos depois o cenário se repetiria na Libertadores.



É, fica claro que, se o Cruzeiro não tomar gol, as chances ficam maiores. Simbora, Cruzeiro!