Há 75 anos, o Palestra dava lugar ao eterno Cruzeiro

Por Hugo Serelo *


Já foi dito neste espaço que ser Cruzeiro é ser mineiro duas vezes. Hoje é dia de lembrar que ser Cruzeiro é ser brasileiro. Isso se confirma não somente nas nove taças nacionais que o Cruzeiro Esporte Clube ostenta no Barro Preto, mas, sobretudo, no nome mais brasileiro de todos os clubes do país: Cruzeiro!


Benny.
Benny.

Primeiro uniforme do clube com o nome Cruzeiro, em 1942


Foi num 7 de outubro de 1942, há exatos 75 anos, que o Conselho do Palestra Itália decidiu o novo nome do clube. O Brasil participava da Segunda Guerra Mundial e lutava contra a Itália, portanto, um decreto de lei do governo federal proibiu o uso de termos que remetiam à Itália em entidades, instituições e estabelecimentos no Brasil. Os nomes Yale e Ypiranga foram sugeridos, mas o Cruzeiro acabou sendo o escolhido pelo Conselho. As cores foram alteradas. O vermelho e o verde da bandeira italiana deram lugar ao azul e branco, ereferência ao uniforme da seleção Azzurra. O escudo também foi mudado.


O "Cruzeiro" foi escolhido por representar uma identidade brasileira. Um símbolo presente na bandeira do Brasil, no hino nacional e no céu da pátria.


NASA
NASA


Constelação 


Olhar para o céu e ver o escudo do Cruzeiro é uma experiência transcendental. Você já imaginou como seria ter que ver o escudo do rival em pleno céu noturno? Se isso me ocorresse, eu seria o mais infeliz dos homens.


"Argumento" de Rival


O Palmeiras mudou de nome e nunca foi visto nenhum corinthiano, são-paulino ou santista zombar por isso. Assim como o Fluminense trocou de cores e nenhum flamenguista, botafoguense ou vascaíno usa isso como trunfo em um debate. No entanto, há torcedores atleticanos-mineiros que tentam argumentar sobre isso em conversas. Triste.


Escudo ou Cinco Estrelas?


O Cruzeiro é um clube que tem um símbolo de reconhecimento maior que o próprio escudo oficial. As cinco estrelas soltas são a marca registrada do Cruzeiro em territórios nacionais ou estrangeiros.


Cruzeiro.
Cruzeiro.

Um dos maiores meias da História do Cruzeiro, Amaury inspirou Tostão a se tornar camisa 10


A ideia de usar as cinco estrelas soltas no lugar do escudo fechado veio do saudoso craque Amaury de Castro, em 1959. Amaury era um meio campo de muita habilidade, que conduziu o Cruzeiro por 233 jogos entre 1957 e 1961. Foi decisivo no tri estadual (1959-1960-1961). Na reta final da carreira, chegou a revezar as profissões de jogador e médico. Mineiro de Carmópolis, Amaury escreveu história nos gramados e na camisa do Cruzeiro. 


A ideia de Amaury durou de 1959 até 1998. Foi na Copa Mercosoul de 98 que o clube voltou a usar o escudo oficial. De lá pra cá, o Cruzeiro costuma variar. O escudo aparece mais nos terceiros uniformes, pois a maioria ainda prefere as cinco estrelas soltas.


Ser Cruzeiro


A imagem do Cruzeiro resplandece na bandeira do Brasil, no hino nacional e nos gramados de Minas Gerais. A camisa do Cruzeiro carrega uma história e vestir essa farda sabendo dessa trajetória aumenta a nossa responsabilidade como torcedor.


Ser Cruzeiro é componente da minha identidade como mineiro e como brasileiro. E isso é o que me faz cantar o hino nacional com alegria e encher o pulmão com vigor na estrofe que destaca como a imagem do Cruzeiro resplandece. 

* Hugo Serelo, 30 anos, andradense, é amante de pesquisa esportiva. Cruzeirense desde 2 de janeiro de 1921