Alô, Brasil: a final de time grande é hoje!

Assim que confirmada a classificação de Cruzeiro e Flamengo para a final da Copa do Brasil, os departamentos de marketing dos dois times soltaram nas redes uma ação diferente de tudo aquilo que estamos acostumados a ver. A parceria do bem entre os dois clubes rendeu uma hashtag #FinalDeTimeGrande, muito engajamento e elogios, mas também críticas e zombaria.


Marcello Zambrana/Light Press
Marcello Zambrana/Light Press

Esperança de gols e referência do time, Thiago Neves pode finalmente se consagrar no Cruzeiro


Em épocas em que a rivalidade exacerbada provoca medo e mortes, o preconceito contra boas ações e gentilezas provoca estranhamento. Quem não se lembra do porre que foi a final da Copa do Brasil em 2014, com as diretorias de Cruzeiro e Atlético se provocando e adotando medidas extremas que geraram muita tensão e desconforto entre as torcidas.


Talvez era bom quando era assim, na provocação, na intimidação, na disputa de quem grita mais alto. Talvez era bom quando o futebol era troglodita, violento e ignorante, muito embora futebol raiz não tenha nada a ver com aquilo que as pessoas ficam exaltando para desmoralizar a bela ação entre Cruzeiro e Flamengo. Futebol raiz pra mim é Zico e Tostão, chuteira preta e torcida na geral. Bola de gomos, TV analógica e jogador de bigode.


Fico assim, sem saber se choro ou rio, mas na dúvida sigo torcendo para que tudo transcorra na maior tranquilidade entre as torcidas, tanto ali no Rio daqui a poucas horas, quanto aqui em BH daqui a 20 dias. Que o agonismo fique em campo, entre os jogadores disputando pela bola, com o sangue nos olhos e a vontade de vencer no coração. E que nas arquibancadas haja apenas o show das torcidas, lotando Maraca e Mineirão, cantando e empurrando os respetivos times rumo à vitória.


Washington Alves/Light Press/Cruzeiro
Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

A torcida celeste tem feito seu papel, apoiando o time e empurrando nos momentos mais complicados. Clima novamente favorável


Mas a cortesia para por aqui. Gentileza é bom, mas eu quero é a taça! Quero muito este título para o meu time. Já são 14 anos sem ganharmos uma copa de verdade. A última foi justamente contra o próprio Flamengo em 2003. E daqui a 20 dias estarei lá, no mesmo palco onde estive 14 anos atrás, observando o Alex levantando a taça e torcendo para que o Fabio repita o gesto diante de 60mil fanáticos celestes.


Temos 8 milhões de motivos para merecermos a taça. O clima é favorável, a torcida mobilizada (6 mil no Maraca, só hoje) e tudo conspira para um fim de ano azul. Gentileza é bom, mas título é bem mais!


Zêêiroooo!!!