Mano, dê um jeito nesse trem aí!

Não tenho medo de ser julgado por passar da euforia à desconfiança no intervalo de um mês. Futebol, como se sabe, é cíclico e nós estamos aqui para analisar o momento, tentando projetar uma expectativa a curto prazo. Não temos bola de cristal para saber o futuro, nossos palpites se baseiam no feeling ou intuição, na nossa forma mais ou menos apaixonada de ver o futebol e nas experiências anteriores, que podem ser traumáticas ou não. Se acertarmos ou errarmos, já é outra história.


Voltando ao Cruzeiro, depois da empolgação inicial, eu já vinha sentindo um certo incômodo com toda essa falta de definição do jogo por parte do time. Time este que, no papel, é extremamente qualificado, mas que encontra dificuldade em marcar gols até no lanterninha do campeonato mineiro. Quando você tem de um lado Sobis, Thiago Neves, Robinho, Arrascaeta e Lucas Silva e do outro um time que briga para não cair no Mineiro, você imagina um massacre, tanto na técnica quanto no placar.


Mas o que se viu foi um domínio estéril da posse de bola, uma pancada de chutes inofensivos e uma vantagem mínima que quase foi para o espaço no final do jogo, quando o América-TO resolveu partir para o ataque.

Eu não sei vocês, mas eu acho inadmissível um timaço desse sofrer tanto contra um time sem muita expressão no cenário regional. Seria falta de vontade? Preguiça de jogar um campeonato fraco? Insistência do treinador em utilizar jogadores pouco decisivos? Ou ineficiência de um esquema que não consegue furar retrancas?


Leonardo Morais/Lightpress/Cruzeiro
Leonardo Morais/Lightpress/Cruzeiro

Alisson fez gol? Expliquem essa, ateus


Para mim, é de tudo um pouco. O que me mata é que é algo tão fácil de resolver: é só colocar os melhores em campo, promovendo rodízio saudável. Os ditos titulares têm que sentir o cangote pegando fogo, não podem se acomodar nunca. E o Mano tem que parar de dar chance a jogador que faz um gol na vida e outro na morte, deixando um artilheiro do quilate do Ábila no banco. Colocar o argentino faltando 5 minutos para o fim do jogo acabar foi de lascar!


A luz amarela está ligada. Contra Caldense e América-TO levamos sério risco de perder 4 pontos. Então chegou o momento de fazer esses ajustes finos para deixar o Cruzeiro em ponto de bala. Do jeito que está, uma hora a casa cai.


Saluti Celesti