Virou moda culpar o programa de Sócio Torcedor celeste

Quando as coisas não vão bem, é fácil apontar o dedo e culpar quem quiser que seja, sem necessariamente analisar profundamente as reais causas de determinado problema. Esse é o modus operandi típico do cidadão médio e que encontra nas redes sociais uma ótima caixa de ressonância.


GazetaPress
GazetaPress

Ábila comemora num Mineirão semi-vazio


Na torcida do Cruzeiro, virou moda agora culpar o Programa de Sócio Torcedor (e por tabela o Departamento de Marketing) pela pífia presença de público nos primeiros jogos do clube na atual temporada. A brusca queda de sócios agravou tais críticas, a meu ver nem tão justas, já que há outros fatores a serem considerados (e que não dependem exclusivamente do mkt celeste) e que estão sendo relevados por pura ignorância ou má fé.


Senão, vejamos:


1) Em jogo de menor apelo, o valor do ingresso deveria ser mais barato
É uma reivindicação justa uma vez que, principalmente em começo de temporada, o treinador aproveita jogos com adversários mais tranquilos para testar reservas e ajustar formações. O resultado é uma espécie de jogo-treino que acaba não atraindo a atenção do torcedor.


2) O custo de deslocamento deveria ser mais em conta
Se você pretende ir ao Mineirão, corre o sério risco de pegar engarrafamentos, gastar gasolina e, ao chegar ao Mineirão, ter que arcar com a bagatela de R$ 30 para estacionar no estádio. Isso sem contar o valor do tropeiro e de uma cervejinha, elevando todo o custo extra para 50-60 reais por jogo. Aqui caberia uma boa promoção para quem lota o carro, ou apresenta carteirinha de sócio na hora da compra de lanches.


3) Fiscalização dos flanelinhas
Eu já paguei R$ 40 reais para estacionar a 1 km do estádio. Inexiste fiscalização, os flanelinhas ficam livres para estorquir o pobre torcedor que, impossibilitado de chegar a tempo ao estádio por conta do trânsito caótico, se vê obrigado a pagar valores absurdos, deixando o carro muitas vezes em barrancos ou lotes vagos, sem nenhuma segurança.


4) Sócio é exclusividade
O sócio celeste nasceu em 2004 com o Cartão 5 Estrelas, que era um cartão de fidelidade pioneiro no Brasil, com benefícios exclusivos, acúmulo de pontos e comodidades, como compra pelo telefone, bilheteria exclusiva, entre outros. Havia planos que incluiam a compra de mais ingressos com 50% de desconto. Possuir um cartão era motivo do orgulho do torcedor. O cartão foi evoluindo até os dias atuais, mudou de nome, oferecendo um leque de categorias para qualquer tipo de bolso e assiduidade, as vantagens do programa do Futebol Melhor, mas mantendo aquele aspecto de exclusividade, ou seja, de vantagens que beneficiava apenas o portador do cartão.


5) Promoções são um 'plus', e não uma regra
As promoções que vieram a seguir, como compra de 3 ingressos extra com 50% de desconto, foram motivadas pelo momento do time, que corria risco de rebaixamento e precisava de apoio maciço no estádio. Terminadas as promoções, o sócio se sentiu extorquido, como se aquilo fosse um direito adquirido. A revolta tomou conta das redes sociais.


6) Maior perda de sócio foi na época das promoções
Mas foi justamente durante essa época de promoções que houve a maior fuga do sócio. Além disso, não houve o retorno financeiro esperado pelo clube, que, além de perder sócio, viu a arrecadação cair drasticamente.


7) O sócio tem plano para qualquer necessidade e bolso
Talvez por uma falha de divulgação ou pela preguiça do próprio torcedor, muitos não sabem que o programa do Sócio do Cruzeiro inclui vários planos, que visam atender a quase todas as necessidades. Há planos para quem é do interior, para quem vai muito ao estádio ou não vai quase nunca. Recentemente foi lançado um plano para as crianças, que, apesar de terem entrada gratuita garantida por lei, ainda podem contar com a facilidade da compra pela internet.


8) Ninguém é obrigado a ser sócio
Sim, você não é obrigado a ter a facilidade de comprar ingresso no conforto do seu sofá, com 50% de desconto, nem ter o ingresso garantido em eventuais finais. Faz se quiser.


9) Mas quanto mais sócio, melhor!
Acho superválido o argumento de muitos cruzeirenses que preferem 4 torcedores no estádio por R$ 25 cada a apenas 1 torcedor por R$ 100. Assim como acho válido o argumento do clube que prefere 4 sócios, cada um usufruindo do desconto de 50% no valor do ingresso, a um sócio distribuindo três ingressos com desconto de 50% para três não sócios.


10) Quer cerveja? Vá a um boteco
O rival liberou cerveja para os sócios cativos (que pagam um valor absurdo para ficarem espremidos em baixo das torcidas rivais). O que o torcedor celeste faz? Aplaude e ainda critica o nosso sócio. Meu amigo, de duas, uma: ou faz um ‘galo na veia’, ou vá a um boteco. Não quero que meu clube banque sua bebedeira. Há contas mais importantes para pagar e o Cruzeiro já está suficientemente sufocado em seus compromissos financeiros.


Esse ano o time promete, o plantel é bom, vamos dar uma chance. Criticar por criticar não ajuda. Mas toda sugestão é bem-vinda! Eu só quero ver um Cruzeiro forte e brigando na parte de cima da tabela, sempre!


#Paz