O coxa-branca precisa ser beliscado

Este texto é pra te beliscar. Mais nada.


O Coxa tem 12 pontos na quinta rodada. Ano passado, o décimo segundo ponto veio na rodada 12. Ano retrasado, na 16ª. Em 2014, foram necessários 14 jogos. Nem 2013, ano do #coxalider, foi melhor que o que vemos agora: atingimos os 12 pontos na sexta rodada.


Ano passado, eu fiz um texto mostrando que o Coxa nunca saía de perto do 17º lugar. Desde 2013, ficava sempre a não mais que 6 pontos de distância. Hoje, 126 jogos depois, quaisquer que sejam os resultados dos jogos de hoje, o Coxa finalmente abriu mais que 6 pontos do 17º.


Fardaram pelo Coxa na quarta um reforço do Atibaia, um do CRB, um do Vitória. O técnico nunca foi treinador em lugar nenhum antes. São os perfis que a gente ama cornetar. E foram exatamente eles os principais destaques do time.


Anteontem, vencemos o Palmeiras. Tá, isso não é tão surpreendente assim, já que desde 1997 o primeiro Verdão do Brasil não perde no Couto pro Porco.


Ainda sobre quarta, era ter pelo menos uma expulsão e um pênalti a nosso favor. Isso fora os lances discutíveis. E o Coxa nunca foi muito de ganhar quando a arbitragem erra tanto quanto nesse jogo.


Tá tudo diferente do que a gente se acostumou nos últimos anos. É difícil explicar como o Coxa saiu de três 16º pra vice liderança. Mas acho que não precisa. Só precisa continuar. Afinal de contas, Tiago Real tem razão: às vezes, ganhar é melhor que empatar.