Guilherme Arana e Pedrinho: o Terrão recebe seu devido valor

Quando sofríamos no ano passado sob o comando de Cristóvão Borges e Oswaldo de Oliveira, era basicamente utópico imaginar que hoje nós, torcedores, estaríamos exaltando as atitudes de um treinador à frente do Corinthians. O mundo dá tantas voltas que acaba nos pegando de surpresa, e Fábio Carille conseguiu fazer o que muitos achavam impossível: trazer a força do Terrão de volta ao Corinthians e com ela montar uma equipe competitiva e vitoriosa.


Da equipe titular corintiana, quatro atletas são crias das categorias de base do clube. Guilherme Arana e Maycon são os mais jovens, enquanto Jô e Fagner são os atletas experientes que rodaram o mundo do futebol para voltarem pra casa. Além dos titulares, o Timão ainda conta com Pedrinho, Léo Jabá, Pedro Henrique, Marciel e Léo Príncipe, opções sempre utilizadas pela comissão técnica corintiana.


Gazeta Press
Gazeta Press

Guilherme Arana tem tudo para ser um dos maiores laterais-esquerdos criados pelo Timão


O que nos faz colocar um ponto de interrogação na cabeça é a seguinte questão: se tivéssemos utilizado mais esses rapazes anteriormente, teríamos passado tanto perrengue com os denominados ‘tiriças’, como Marlone e Guilherme? Creio que não. Esses moleques estão com fome de bola e vontade de fazer história. Não aceitam bola perdida e dão o sangue em campo pelo clube que os revelou para o mundo. Mérito de Carille e seu auxiliar Osmar Loss, o técnico com mais títulos da história da Copa São Paulo de Futebol Júnior.


Toda joia precisa ser lapidada com calma e precisão. Carille soube dar o Campeonato Paulista para os jovens adquirirem confiança e hoje colhe os frutos de uma aposta ousada e coerente. Na beira do gramado da Arena Corinthians, Fábio Carille assiste Guilherme Arana se tornar o melhor lateral-esquerdo no futebol nacional. Vê Maycon, cada vez mais consistente e seguro, se tornar um volante capacitado e eficiente, nos lembrando os bons tempos em que a camisa 8 alvinegra era vestida por Paulinho. E de quebra, ainda acompanhou de camarote o talismã Pedrinho entrar em campo e fazer um lance que pode ser considerado uma pintura no gol corintiano contra o Botafogo. 


Quem é corintiano corneteiro com certeza já bradou pelos quatro cantos mais oportunidades para esses garotos. E não é que tínhamos razão? No fundo, sempre soubemos que o Terrão é onde se encontram as raízes desse clube popular e tão apaixonante. É de lá que surgem os jogadores com paixão pelo clube, que comem grama pelo time que chamamos de nosso. É lindo de se ver.


Me orgulha e me emociona assistir esses moleques em campo. O torcedor merecia esse momento. Palmas para Carille e para todos responsáveis que fizeram esse sonho corintiano se tornar realidade.


Siga a página no Facebook: Paixão Maloqueira