Desculpe, Romero: nós estávamos errados esse tempo todo

Gazeta Press
Gazeta Press

Note a cara de orgulho estampado no rosto de Pablo ao admirar Romero, o Monstro!


Quem nunca o criticou que atire a primeira pedra. Assumo de forma arrependida que já critiquei Romero como titular absoluto, cornetei suas atuações ruins e fui cético em relação a sua qualidade. A resposta das minhas críticas não poderia vir de maneira melhor: em campo. O paraguaio, cada vez mais estável e raçudo, se estabilizou com boas atuações e conquistou até seus críticos mais assíduos de forma unânime (estou certo ou não, Alê Oliveira?).


Pode parecer exagero, mas não é. Desde a estreia no Campeonato Brasileiro, Romero tem sido um dos destaques do Timão em campo. Não pela qualidade técnica ou por inúmeros gols, mas sim por sua entrega na marcação e pela correria em TODOS os lances possíveis. Às vezes, Romero me lembra os tempos áureos de Jorge Henrique vestindo o manto alvinegro, quando nenhuma bola era perdida e qualquer lance era motivo de empenho e garra.


Após uma matéria viralizar com sua matada errada no peito, Romero ficou chateado com a imprensa. Sentiu-se perseguido, ironizado, menosprezado. Não é para menos, o garoto se tornou motivo de piada entre todas as torcidas do Brasil. Mas a chacota de mau gosto não atingiu o futebol do paraguaio, pelo contrário! A cada partida que passa, Romero se demonstra com mais vontade de calar a boca daqueles que apontaram o dedo para caçoar de sua qualidade.
Por isso, meu caro Romero, venho aqui publicamente pedir desculpas a você.


Não fique bravo conosco, somos imediatistas e julgadores, você conseguiu dar a volta por cima e mostrar o quanto estávamos errados. Pensarei mil vezes a partir de agora antes de criticá-lo ou subestimá-lo. O amor e o empenho que você demonstra vestindo a camisa do Corinthians merece ser destacado e respeitado. Estamos juntos nessa!


Siga a página no Facebook: Paixão Maloqueira