Corinthians invicto no dérbi em 2017: o combustível que faltava

gazetapress
gazetapress

Romero faz a selfie pós gol: jamais critiquei


Nem nos meus melhores sonhos eu desenharia um jogo como o que vivi no domingo. Aos que me acompanham aqui, sabem que sou desconfiada. Vim da safra de torcedores desconfiados. Não posso fazer nada, meu corinthianismo foi forjado em sua metade de momentos terríveis, então é normal que eu não me iluda tanto com o futebol.


Eles achavam que ganhariam da gente. No ano do centenário do dérbi, por três vezes eles tinham certeza que saíriam vitoriosos. Vieram sedentos, esqueceram até que no primeiro dos jogos este ano tiveram um erro de arbitragem a favor, esqueceram tudo. Hoje eles não vão admitir essa derrota, não vão digerir. Se o 1x0 em casa e o 2x0 na casa do Palmeiras já estavam entalados, esse 3x2 vai cair como uma pedra em cima deles.


Esse Corinthians, que teve suas baixas contra times tidos como fracos, encontrou novamente um bom futebol num dos jogos mais difíceis do ano. A história do time em 2017 ganha contornos de dramas da vida real. Parece que quando tudo já está indo por água abaixo, o time encontra um respiro no momento em que todos diziam ser impossível.


Ainda que soe como frase de auto-ajuda barata, conseguir o impossível é a tônica que o Corinthians persegue nesse ano. Foi assim quando nos taxaram de quarta força e ganhamos o Paulistão. Foi assim no primeiro turno mais impecável da história do Brasileirão. E agora o que toda a torcida espera é que a vitória no dérbi seja o combustível que faltava para o time motivar nas seis batalhas finais.


Se outrora a angústia de ver o declínio do time que fora imbatível no primeiro turno tomava conta, agora a felicidade e a motivação voltam ao seu máximo.


Amigos leitores desse blog corneteiro: ganhamos os três clássicos contra o Palmeiras. O maior clássico do país. No ano do centenário do dérbi. Somos privilegiados demais em viver para ter essa lembrança conosco. E de podermos ver os dois times em seus melhores momentos se enfrentando novamente na história, com nosso Coringão vencendo todos os confrontos do ano. Todo castigo para o rival é pouco, já diz o ditado.


Hoje só tenho que agradecer. A todos que foram apoiar o time, as mais de 32 mil pessoas presentes no treino na Arena Corinthians. A todos que de sua forma se concentraram para que o clima do clássico fosse como deve ser: acirrado, com raça e muita vontade. Para todos que, assim como eu, estavam na Arena Corinthians no domingo torcendo, que foram pra casa sem voz, que cantaram até o último minuto. Para quem, mesmo de casa, usou sua camisa da sorte, fez seu ritual pré jogo que sempre funciona para o time vencer. E até para quem ali no radinho conseguiu mentalizar que tudo daria certo para nós.


A simbiose entre time e torcida nunca falha. Se apoiamos de fora, em campo eles responderam e trouxeram de novo a alegria pra Fiel Torcida. E que assim se mantenha até a última rodada.


Sem oba-oba, sem festejar antes, sem acomodar. Aqui é Corinthians!