Sem desespero, mas... Acorda, Corinthians!

gazetapress
gazetapress

É preciso pés no chão para seguir na liderança, não há nada ganho


Não costumo ter otimismo em nenhum aspecto quando o assunto é futebol. Me entendam: antes de ver esse Corinthians que tem uma média de títulos absurda, eu vi muitos Corinthians que perdiam jogos inimagináveis. Futebol molda o caráter e nisso aprendi que não dá pra cantar que já ganhou antes de ganhar.


Pois bem, na cabeça de todo corinthiano hoje deve estar pairando a dúvida sobre o que acontece com esse time. Foram 2 jogos amassando o adversário em casa sem que a bola entrasse, e perdemos. Para dois times do Z4, importante enfatizar. Ontem, a derrota para o Santos fora de casa. Das 3 derrotas, a mais "possível" (não aceitável), mas fora de casa a chance de perder é maior. Faz parte.


Por aqui, a vontade da blogueira é ir ao CT fazer faixas e xingar todo mundo. Infelizmente não é assim que a banda toca, é preciso ter calma e saber cobrar no momento certo. Talvez esse seja o momento em que o time precise entender que não há absolutamente nada ganho e que tem mais de 40 pontos em jogo. O momento de apoiar é sempre, mas o de acordar é agora.


Temos um elenco reduzido, com jogadores reservas que ainda não estão em um nível bom para a competição. Mas o problema não é só o elenco. Nas mil teorias que surgem, a que mais me chama atenção é talvez o clima de oba-oba ter tomado conta do elenco. Futebol se ganha em campo, mas também no psicológico. Com duas chances de descanso prologado, esse time tinha que ter voltado voando a campo, com os jogadores já recuperados e jogando forte para acumular vitórias. O que se viu nos últimos jogos era um time com dificuldade de propor jogo e provando do próprio veneno: agora são os adversário quem deixam o time com posse de bola e matam o jogo.


Outro debate que esquentou nos últimos tempos foi a dúvida sobre o esquema tático. Está manjado? É possível. Nos últimos Brasileiros que vencemos tivemos a mesma dificuldade: em 2011, com uma sequência incômoda de derrotas; em 2015, um suposto corpo mole por atrasos de salários. Como também ocorre esse ano, com alguns direitos de imagem atrasados. O que, a meu ver, não deveria justificar, mas não é impossível de acontecer. Sabemos como funciona a cabeça de jogador.


Mas acima disso, é o Corinthians disputando título. Esse time precisa achar um novo modo de jogar, uma variação tática e acertar melhor a precisão dos chutes. Apesar de termos um dos artilheiros do campeonato, essa artilharia somente se construiu pelo modo cirúrgico em que nosso time atacava. Até isso se perdeu nos últimos jogos.


Não é hora para desespero, mas é hora de ligar um alerta. Só dependemos de nós mesmos para levar essa taça, então que o recado esteja dado: é Corinthians em campo. Honrem essa camisa!



Siga no twitter: @corinthiana