Jô, Jogba ou rei dos clássicos: mais um na conta!

GAZETAPRESS
GAZETAPRESS

Seu time já tomou gol do Jô esse ano?


Rei dos clássicos até agora, Jô é um dos jogadores que eu realmente torci o nariz quando chegou. Não achei que renderia. Até hoje tenho minhas ressalvas quanto a ele, mas vejo que não lhe falta dedicação e vontade. Isso é muito importante. Pela terceira vez em clássicos este ano, ele marcou um gol. E, assim como contra o Santos, com um cruzamento impecável de Arana, que vem jogando a cada dia melhor.


Empate foi um resultado até satisfatório pelo nível da partida, visto que o jogo contra o SPFC foi sem dúvida um dos mais feios que já aconteceram esse ano. Com um setor ofensivo carente de peças, o Corinthians criou pouco. Jogou pelo contra-ataque, claro, pois jogo fora de casa não teria outra forma de jogar. Mas deixou muito a desejar na criação, mesmo com a presença do Jadson. Rodriguinho, de quem se esperava muito, prendia demais a bola quando tinha oportunidades. Sofrível seria um adjetivo adequado para essa partida.


Carille fez o que pode para manter sua estratégia de jogo. Segurar os avanços pouco efetivos do adversário e tentar algo no toque de bola no contra-ataque. Faltou capricho nas finalizações também, além de tudo.


Nessa reta final do Paulistão, fica evidente que a carência de peças de reposição do elenco por vezes nos prejudica. Faz parte, é o momento de ter paciência mesmo. Exceto o jogo de hoje, não vejo raça ou dedicação faltando no elenco. Características importantíssimas num time que hoje aposta muito na base e precisa passar mais confiança aos meninos.


Com um gol do Corinthians anulado de forma muito duvidosa, visto que não houve um contato do Jô com o jogador são-paulino, que caiu de maduro na jogada, e uma arbitragem horrível, chegamos ao terceiro clássico em que o Corinthians sai prejudicado no ano. Tivemos dois lances capitais que poderiam ter decidido o jogo, com o gol mal anulado de Rodriguinho e com a pisada na bola de Léo Jabá. Este que também teria livres condições de chegar no gol, não fosse a entrada criminosa do Wellington Nem, que foi expulso erroneamente em outro lance, para coroar a lambança da arbitragem.


Um jogo desses para comemorar apenas a estrela do Jô, que pelo menos em clássicos tem feito bem seu trabalho.


Por fim, nada muda no semi-clássico com a freguesia da Vila Sônia. Até aqui, são 123 vitórias do Corinthians, 102 vitórias do SPFC e 106 empates. No Morumbi, são 33 vitórias do Coringão contra 27 do SPFC. No Pacaembu, são 46 vitórias do Corinthians, contra 44 do SPFC. E por fim, na Arena Corinthians, 4 vitórias do Corinthians, contra nenhuma do SPFC. Já diz a famosa música: "ei, você aí, freguês em Itaquera e freguês no Morumbi".


No mais, sobre comemorações provocativas: não entendi até agora porque o Maicon comemorou homenageando seu técnico, Rogério Ceni, pelos frangos tomados contra o Corinthians em toda sua carreira. Vai entender.



Vai Corinthians!