Com Cássio novamente em alta, Walter tem o direito de sair do Corinthians

O Corinthians vive um momento sensacional na temporada. Levou o Paulista, engatou vitórias no Brasileiro e venceu o São Paulo no fim de semana em uma atuação bastante convincente, mostrando como joga, de verdade, um time bem treinado - mesmo que o treinador não seja tratado como estrela.


Porém, a ascensão de uns significa a baixa de outros. Enquanto o Corinthians de Jô, Arana, Gabriel, Maycon, Fagner, Jadson e Rodriguinho mantém um nível técnico muito acima do esperado no começo do ano, outros jogadores recebem poucas oportunidades no time principal. É o caso de Walter, o nosso goleiro reserva.


Em 2016, tudo indicava que Cássio deixaria o Corinthians e Walter assumiria a meta de uma vez por todas. Fez jogos seguros, com liderança, tranquilidade e, em algumas partidas, fechou o gol como poucos goleiros que já vestiram a camisa alvinegra.


Porém, para a alegria de uns e o azar de outros, Cássio, ídolo histórico do Corinthians e que não estava jogando nada, percebeu que estava perdendo espaço dentro do clube e decidiu reagir.


O Gigante começou a fazer treinamentos especiais durante as férias, se preparou como pôde durante o fim do ano passado e voltou com tudo. Recuperou a posição após uma lesão grave de Walter e tornou-se, de novo, incontestável no time principal.


Hoje, o camisa 12 é um dos responsáveis por fazer o Corinthians voltar a ter a defesa mais segura do Brasil. Está jogando o fino da bola e, como sempre, mostrando por que é um dos líderes do time.


Walter, por outro lado, entendendo a situação e a condição histórica do que Cássio representa para a Fiel e o Corinthians, voltou para o banco e não ganhou um minuto de jogo sequer em 2017. Seis meses depois, a imprensa começa a informar que o goleiro foi aconselhado a deixar o Corinthians para mostrar seu potencial em outros clubes.


Gazeta Press
Gazeta Press

Goleiro corintiano tem qualidade para ser titular em qualquer equipe do Brasil


"É um goleiro que tem qualidade para ser titular de qualquer clube do Brasil e já mostrou isso aqui. Goleiro tem de ter paciência sempre porque joga só um. O goleiro só sai [do time] se tiver com uma dificuldade muito grande, com lesão ou se estiver errando muito. Se mantiver a regularidade, vai jogar. A vida é assim", disse o preparador de goleiros do Corinthians, Mauri Lima, ao UOL Esporte.


Walter tem 30 anos, está no momento chave da sua carreira como goleiro e vai precisar tomar uma decisão. Não dá para julgar um profissional que, embora seja uma peça importante para o elenco corintiano, também quer jogar e mostrar o que sabe. É claro que não seria interessante vê-lo defendendo outra camisa, mas, olhando para o lado profissional, me parece a situação mais sensata se ele quer ganhar nome na carreira.


Walter tem um exemplo dentro do próprio Corinthians: Danilo Fernandes.


Formado nas categorias de base corintianas, Danilo fez apenas 23 partidas oficiais pelo Corinthians. Foi para o Sport Recife em 2015, com 26 anos, fez um trabalho sensacional e se tornou um dos melhores do Brasil. Hoje defende o Inter e é o titular da equipe gaúcha com folga.


Gazeta Press
Gazeta Press

Danilo Fernandes precisou sair do Corinthians para se tornar um goleiro de primeira linha


Walter é um jogador que se esforça, não reclama e está sempre empenhado nos treinamentos. Dá para ver que é uma pessoa de bem e que pensa muito no clube que paga o seu salário.


Ainda assim, se decidir que o melhor para sua vida profissional é trabalhar em outro lugar, o Corinthians e seus torcedores serão sempre gratos e honrados com o que ele fez pelo clube quando teve oportunidades.



Siga o blogueiro no Twitter: @kaioesteves e acompanhe o Timão, pelo Facebook, na página Corinthiosidades