De 4ª força a time a ser batido: a ironia envolvendo o Corinthians

Vamos fazer uma pequena retrospectiva do começo do ano:


O ambiente no Corinthians era conturbado, a diretoria cambaleava para conseguir trazer reforços básicos e só bancou Fábio Carille depois de tentar trazer outros nomes e não conseguir contratar nenhum técnico promissor ou de bom nome no mercado.


O Corinthians era uma incógnita que havia perdido a vaga na Libertadores pelo Brasileiro e tentava se reerguer, ainda viúvo de Tite e de um sistema de jogo definido. Parte da imprensa era precisa em afirmar que o time de Itaquera era a quarta força de SP e dificilmente venceria algum campeonato em 2017. Ok.


Seis meses depois, com a defesa arrumada, o trabalho humilde e um sistema de jogo preciso, o Corinthians tornou-se - pela própria imprensa - o time brasileiro mais difícil de ser batido atualmente. Os destaques vão de Pablo a Jô, passando por Maycon, Gabriel, Arana e o polivalente Ángel Romero. Todos nomes desconhecidos, até então contestados, ou apostas da base.


​O trabalho foi evoluindo, as vitórias em clássicos apareceram, a confiança foi aumentando, o título paulista veio e a pulga ficou atrás da orelha de quem analisava o Corinthians simplesmente pelos nomes colocados no papel.


O que poderia ter acontecido com aquele time em começo de trabalho que venceu e convenceu em clássicos e ergueu a taça estadual?


Gazeta Press
Gazeta Press

Tem que respeitar


Os extremos cercam o Corinthians e isso chega a ser engraçado. Como disse ​o corintiano e amigo Vinicius Intrieri, no Twitter, é o que dá audiência​: "ninguém vai assistir se a mesa redonda discutir se o Corinthians pode chegar em sétimo ou décimo​"​.


O início no Brasileirão mostra que o Corinthians não está no nacional para brincadeira. A camisa está pesando e a sede de calar muitos que esse elenco tem é algo que me chama a atenção.


Só estamos no começo, não tem nada definido. Eu mesmo acho que o Corinthians briga por Libertadores no Brasileirão, e não por título. Porém, hoje, com a zaga menos vazada do país e com tanta estabilidade nos jogos em casa, como posso duvidar? Não duvido.


A vitória sobre o Santos derrubou Dorival Jr e deu ânimo para que Carille continue o excelente trabalho. O cara não perde um jogo oficial há três meses (!). E é um trabalho que merece sustentação, mesmo que o time comece a perder alguns jogos em um campeonato que não tem jogo fácil. Vale lembrar, também, que é a primeira temporada completa do treinador como profissional.


O Corinthians dá saltos surpreendentes em 2017. Cala críticos, questiona sabichões da TV e responde com vitórias no campo. Devagar, constrói um novo caminho pós-Tite que já trouxe troféu e pode trazer ainda mais frutos em um futuro próximo.


O tempo dirá.


Ou já está dizendo.


Siga o blogueiro no Twitter: @kaioesteves e continue acompanhando o Timão, no Facebook, pela página Corinthiosidades