Batshuayi: o aspirante goleador em modo de espera

Michy Batshuayi chegou ao Chelsea, em julho de 2016, ciente da dura concorrência que teria pela frente: Diego Costa. Terminada a temporada, deu a lógica: o belga acompanhou do banco de reservas aos gols do camisa 19.



Curta o Pride of London no Facebook



No entanto, as poucas participações de Batshuayi deixaram boa impressão para o futuro dos Blues. Dos cinco gols que anotou na Premier League, quatro aconteceram nas últimas três rodadas, contra West Bromwich, Watford e Sunderland, respectivamente. Além disso, foram mais quatro gols em jogos de copas.


Diante do Sunderland, Batshuayi não começou entre os titulares, mas entrou no decorrer do jogo e, num espaço de dois minutos, conseguiu dois gols que evidenciaram suas principais características: oportunismo, agilidade e precisão na finalização.


Getty Images
Getty Images

Sempre oportunista, Batshuayi deixou sua marca no último jogo da Premier League


Há algo no futebol de Batshuayi que me faz querer enxergá-lo como uma espécie de novo Drogba, ou, para não exagerar na comparação, um Lukaku em transição.


Michy tem apenas 23 anos e a expectativa em torno do seu futebol é enorme, mas segue naquele dilema: como mostrar seu verdadeiro potencial sendo reserva? E não há como culpar a decisão de Antonio Conte, porque Costa realmente é superior e mantém excelente média de gols. 


Nesta temporada, mesmo sendo titular em apenas uma partida, lembro de dois grandes momento do camisa 23 pelos Blues: o gol que deu a vitória sobre o Watford, fora de casa, por 2 a 1, e o gol que garantiu o título diante do West Bromwich.


Batshuayi foi, assim como Rémy em 2014/15, um excelente reserva de luxo, sendo cirúrgico quando convocado para atuar cerca de vinte minutos. A diferença é que, mais jovem que o atacante francês, Michy tem capacidade para ser mais que um mero suplente. 


Com mais quatro anos de contrato, Antonio Conte e sua comissão técnica precisam moldar Michy para o futuro. As próximas temporadas não garantirão ao jogador a promessa da titularidade, mas provavelmente atuará muito mais do que em 2016/17.


Devido ao histórico do clube em não ser tão paciente com atletas em desenvolvimento, fica a torcida para que Batshuayi seja a exceção. Quem o vê em campo sabe: tem instinto de goleador e só precisa ser paciente para, quem sabe, escrever seu nome na história do Chelsea.