Rei das Assistências: Fàbregas e a arte do craque silencioso

Getty Images
Getty Images

Vai uma assistência aí?


Foi dia de festa em Stamford Bridge nesta segunda-feira (15). Mesmo com uma equipe alternativa, os Blues jogaram como se o título ainda não estivesse garantido e alcançaram a 29ª vitória na competição. Muitos jovens em campo, viradas e muito gols.



Curta o Pride of London no Facebook



Destaque especial para John Terry, escalado titular e com a faixa de capitão no braço, que marcou provavelmente seu último gol com a camisa do Chelsea. Deu uma entregada no lance seguinte? Sim, mas isso pode ser ignorado. Diante da rica história no clube, o capitão tem crédito eterno. 


Mas o camisa 26 que me perdoe, porque assunto deste texto será Cesc Fàbregas. Já faz algumas rodadas que o espanhol tem se tornado uma espécie de craque silencioso.


Não é o craque do time, até porque não é titular incontestável, mas sempre que entra dá uma assistência aqui, outra ali e às vezes ainda consegue balançar as redes, sendo gols decisivos, assim como diante do Watford no triunfo por 4 a 3. 


O líder de assistências (15) nesta edição da Premier League é Kevin De Bruyne, que soma 35 jogos com a camisa dos Citizens, sendo a maioria como titular. Fàbregas, com oito jogos a menos, tem 11. Está à frente de David Silva, Sánchez e Philipe Coutinho, por exemplo. 


O camisa 4, desde que chegou ao Blues, soma 45 assistências - destaque para a temporada da estreia, quando alcançou 18 passes para gol no Campeonato Inglês. Vivendo sua terceira temporada no clube, Cesc tem média de 15 assistências por época, o que é uma marca expressiva para um jogador da sua posição.


Por mais que torcedores rivais tentam menosprezá-lo, como se o futebol de Fàbregas fosse "comum, nada demais", quem de fato o acompanha jogo a jogo sabe que Cesc é um jogador diferenciado. Basta um passe ou lançamento despretensioso para quebrar a linha defensiva adversária e deixar os atacantes na cara do gol.




Houve certo receio sobre a permanência do jogador, já que Matic foi o escolhido para atuar ao lado de Kanté, mas as recentes performances deixam claro que Fàbregas pertence ao Chelsea. Completamente adaptado ao clube, tendo a confiança do treinador e adorado pelos torcedores, é difícil imaginar que Cesc esteja fora dos planos para os próximos anos. 


No futebol, no entanto, ninguém sabe o dia de amanhã. Há o interesse concreto do Milan, que está disposto a oferecer um caminhão de dinheiro pelo volante, assim como sondagens de City e United. Por fim, nunca se pode ignorar as investigas agressivas do futebol chinês.


Com o título da Premier League, o planejamento dos Blues começa agora. Diante do Watford, Fàbregas provou, novamente, que é muito importante ao clube. Tendo como meta a Uefa Champions League para a próxima temporada, seria desastroso não contar com os serviços do mágico camisa 4.